A interação humano-animal e o uso de homeopatia no manejo sanitário de rebanhos leiteiros em pequenas propriedades no Sul do Brasil
PDF

Palavras-chave

Atitudes
Comportamento
Vacas
Homeopatia
Agricultura familiar.

Como Citar

Honorato, L. A., & Hötzel, M. J. (2012). A interação humano-animal e o uso de homeopatia no manejo sanitário de rebanhos leiteiros em pequenas propriedades no Sul do Brasil. Revista Brasileira De Agroecologia, 7(2). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/12851

Resumo

O comportamento de vacas leiteiras pode ser influenciado pela natureza do tratamento que recebem dos humanos. Neste trabalho foram comparados 20 estabelecimentos de agricultores familiares que usavam terapia convencional (n=11) ou homeopática (n=9) como principal terapêutica em rebanhos leiteiros. Foram feitas entrevistas com os agricultores, medidas de comportamento humano (como nomear e falar com os animais, contatos positivos ou negativos, condução para a sala de ordenha), e de comportamento animal. Foram encontrados escores de comportamento humano similares entre os dois grupos. A média de distância de fuga foi menor nos rebanhos sob uso de homeopatia do que no convencional (P=0,04). Nos 9 estabelecimentos homeopáticos o medicamento era colocado na ração, reduzindo a freqüência de manejos aversivos, o que pode ter influenciado o comportamento dos animais. A semelhança entre os dois grupos sugere que há um padrão de rotina de manejo, onde predominam os comportamentos neutros e positivos dos manejadores, o que pode refletir em atitudes geralmente positivas em relação aos animais. As diferenças no comportamento dos animais observadas neste estudo podem, portanto, ser explicadas principalmente pela forma de administração dos medicamentos, que possivelmente reduzem de uma forma geral a ocorrência de interações negativas entre manejadores e animais.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.