Pré-cultivo de adubos verdes ao milho em agroecossistema submetido a manejo ecológico no Sul de Mato Grosso do Sul
PDF

Palavras-chave

Adubação verde
leguminosas
Zea mays
desempenho do milho

Como Citar

Padovan, M. P., Motta, I. de S., Carneiro, L. F., Moitinho, M. R., Salomão, G. de B., & Recalde, K. M. G. (2013). Pré-cultivo de adubos verdes ao milho em agroecossistema submetido a manejo ecológico no Sul de Mato Grosso do Sul. Revista Brasileira De Agroecologia, 8(3). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/10385

Resumo

Este estudo foi desenvolvido no ano agrícola de 2007/2008, na Região Sul do Estado de Mato Grosso do Sul (coordenadas geográficas 23° 028' S, 54° 011' W e 340 m de altitude), com o objetivo de avaliar o acúmulo de massa e nutrientes na parte aérea das plantas de alguns adubos verdes e o efeito destes sobre o desempenho da cultura do milho. Os tratamentos foram: feijão-de-porco, feijão-bravo-do-ceará, mucuna-preta, feijão-guandu, crotalária, sorgo-forrageiro, milheto, consórcio entre crotalária e milheto, mistura de adubos verdes e plantas espontâneas (testemunha). O milho foi semeado logo após o manejo (corte) dos adubos verdes. Os adubos verdes apresentam desenvolvimento e capacidade de ciclagem de nutrientes satisfatório nas condições edafoclimáticas do Sul do Estado, com destaque para Crotalaria juncea, sorgo-forrageiro e feijão-guandu. O uso de adubos verdes (leguminosas em monocultivo e consorciadas com gramíneas) proporcionaram melhor desempenho ao milho cultivado em sucessão.
PDF

Aviso de Copyright
Os direitos autorais para artigos publicados nesta revista são dos autores, com direitos de primeira publicação para a revista.

Em virtude de aparecerem nesta revista de acesso público, os artigos são de distribuição gratuita, com atribuições próprias, em aplicações educacionais e não-comerciais com licenciada através da CC BY-NC-SA.