Comida e Comunicação no Ato Público da Caravana do Rio de Janeiro: Exercícios na construção de outras intervenções públicas

Autores

  • Natalia Souza UFRPE, Recife, PE - Brasil

Resumo

Este artigo tem por objetivo contribuir com as reflexões e registros de algumas impressões sobre a vivência do grupo da Articulação de Agroecologia do Rio de Janeiro (AARJ) e do Núcleo Interdisciplinar de Agroecologia (NIA) da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro, na construção e animação do ato público realizado na principal praça pública do município de Casimiro de Abreu/RJ como atividade de encerramento da Caravana Agroecológica e Cultural do RJ, tendo como principal foco a interpretação sobre as diferentes possibilidades de diálogo com a sociedade. Conclui-se que o ato público é uma ferramenta de comunicação com a sociedade, pois possibilitou a socialização dos resultados acumulados pela Caravana RJ e deu visibilidade, por meio de um almoço agroecológico, a agricultura familiar que existe no estado do Rio de Janeiro, que resiste e alimenta, defendendo o acesso à alimentação saudável como sendo um direito político.

Biografia do Autor

Natalia Souza, UFRPE, Recife, PE - Brasil

graduação em Agronomia (1990) e especialização em Educação Ambiental (1994) pela Universidade Federal de Mato Grosso e doutorado em Agroecologia, Sociologia y Desarrollo Rural Sostenible pela Universidade de Córdoba/Espanha (2007), reconhecido pelo Programa de Posgraduação em Desenvolvimento Rural da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (2008). Trabalhou ultimamente como consultora - Programas das Nações Unidas para o Desenvolvimento no Brasil e no Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura em projetos voltados para a agricultura familiar vinculados ao Departamento de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ministério do Desenvolvimento Agrário/Secretaria da Agricultura Familiar. Atualmente é professora de Extensão Rural na Universidade Federal Rural de Pernambuco.

Downloads

Publicado

2018-08-09