Mercados de orgânicos no Brasil: vantagens e desvantagens para diferentes tipos de agricultores

Autores

  • Carla Samara dos Santos Ferreira Universidade Federal de São Carlos
  • Elizabeth Lima Pereira Universidade Federal de São Carlos
  • Natália Thaynã Farias Cavalcanti Universidade Federal de São Carlos
  • Marta Cristina Marjotta-Maistro Universidade Federal de São Carlos

Resumo

Este trabalho tem como objetivo explicitar as vantagens de pequenos e grandes produtores na estrutura de mercado, a partir das diferentes formas de comercialização de produtos orgânicos no Brasil. Metodologicamente, está fundamentado em pesquisa bibliográfica com abordagem quantitativa e qualitativa. Constatou-se que a agricultura patronal, pode se beneficiar da demanda dos alimentos orgânicos ao comercializarem com regularidade, grande escala de produção e na economia pecuniária. A agricultura familiar leva vantagens devido a capacidade de diminuição da dependência de insumos externos e na diversificação da produção.

Biografia do Autor

Carla Samara dos Santos Ferreira, Universidade Federal de São Carlos

Bacharel em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal Rural da Amazônia e Mestranda em Agroecologia e Desenvolvimento Rural pela Universidade Federal de São Carlos

Elizabeth Lima Pereira, Universidade Federal de São Carlos

Mestranda em Agroecologia e Desenvolvimento Rural pela Universidade Federal de São Carlos

Natália Thaynã Farias Cavalcanti, Universidade Federal de São Carlos

Bacharel em Agroecologia pela Universidade Estadual da Paraíba e Mestranda em Agroecologia e Desenvolvimento Rural pela Universidade Federal de São Carlos

Marta Cristina Marjotta-Maistro, Universidade Federal de São Carlos

Doutorado em Ciências (Economia Aplicada) pela Universidade de São Paulo e Professora do Programa de Pós-Graduação em Agroecologia e Desenvolvimento Rural da Universidade Federal de São Carlos, Campus Araras, SP.

Referências

AVELAR, E. A. Mercado de alimentos orgânicos em Belo Horizonte – MG. (Dissertação de Mestrado) Pós Graduação em Administração – Universidade Federal de Lavras, Lavras, MG, 2013. 143p.

CASTRO NETO, N.; DENUZI, V.S.S.; RINALDI, R.N.; STADUTO, J.A.R. Produção Orgânica: um potencial estratégico para a agricultura familiar. Revista Percursos, Maringá, vol. 2, n. 2, 2010.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Agropecuário 2006. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/agropecuaria/censoagro/>. Acesso em: 30 abri. 2015, 22:08:35.

LIMA, F. S. Produção de orgânicos: a inserção da pequena propriedade no contexto econômico, Social e ambiental, 2005, 55 f. Trabalho de Conclusão de Curso (GraduaçãoCiências Econômicas)- Faculdades Integradas “Antônio Eufrásio de Toledo, Presidente Prudente.

MAPA, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Aumenta número de produtores orgânicos no Brasil. 2014. Disponível em:< http://www.agricultura.gov.br/comunicacao/noticias/2014/02/aumenta-numero-de-produtores-de-organicos-no-brasil> Acesso em: 23 abri 2015, 21:25:19.

TERRAZZAN, P.; VALARINI, P. J. Situação do mercado de produtos orgânicos e as formas de comercialização no Brasil. Informações Econômicas, v. 39, n. 11, 2009.

WILLER, H.; LEMOUD, J. (Org.) The World of Organic Agriculture: Statistics and Emerging Trends 2014. 15th revised edition [s.l.]. FiBL and IFOAM Publication, Feb. 2014, 302 p.

Downloads

Publicado

2016-05-15

Edição

Seção

IX CBA 2. Estratégias de Desenvolvimento Socioeconômico.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)