Diversidade morfológica de variedades crioulas de milho pipoca conservadas por agricultores familiares do oeste catarinense

Autores

  • Gabriel B. Gonçalves UFSC
  • Tassiane T. Pinto UFSC
  • Inês Claudete Burg UFFS
  • Wagner Bastos dos Santos UFSC
  • Rosenilda Souza UFSC
  • Juliana B. Olgliari UFSC

Resumo

Variedades crioulas são amplamente cultivadas por agricultores familiares do Oeste de Santa Catarina. Nos municípios de Anchieta e Guaraciaba, variedades crioulas de pipoca são produzidas especialmente para o consumo da própria família. O presente trabalho analisou a diversidade de 14 variedades crioulas de pipoca branca, cultivadas por agricultores familiares de Anchieta e Guaraciaba e uma variedade comercial, por meio de descritores morfológicos, com a utilização do índice de similaridade de Jaccard e agrupamento pelo método UPGMA. O dendograma apontou três diferentes grupos de variedades crioulas, sendo que a variedade comercial permaneceu isolada das demais. O coeficiente de correlação cofenética calculado foi de 0,8163, demonstrando uma forte correlação entre a matriz de similaridade e o dendograma gerado. As variedades apresentam diversidade genética entre si e os grupos formados indicam pontos para formação de uma coleção nuclear de variedades de pipoca, formação de compostos e programas de melhoramento.

Biografia do Autor

Gabriel B. Gonçalves, UFSC

Programa de Pós Graduação em Recursos Geneticos Vegetais

Tassiane T. Pinto, UFSC

Programa de Pós Graduação em Recursos Geneticos Vegetais

Inês Claudete Burg, UFFS

Programa de Pós Graduação em Recursos Geneticos Vegetais

Wagner Bastos dos Santos, UFSC

Programa de Pós Graduação em Recursos Geneticos Vegetais

Rosenilda Souza, UFSC

Programa de Pós Graduação em Recursos Geneticos Vegetais

Juliana B. Olgliari, UFSC

Programa de Pós Graduação em Recursos Geneticos Vegetais

Referências

CANCI, I. Relações dos sistemas informais de conhecimento no manejo da agrobiodiversidade no Oeste de Santa Catarina. Dissertação (mestrado) - Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2006.

COSTA, F. M. Diversidade genética e distribuição geográfica: uma abordagem para a conservação onfarm e ex situ e o uso sustentável dos recursos genéticos de milho do Oeste de Santa Catarina. Dissertação (mestrado) – Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2013.

COSTA, F. M.; SILVA, N. C. A.; VIDAL, R.; LOHN, A. F.; OGLIARI, J. B. Análise espacial da diversidade de preferências de usos de variedades crioulas de milho do Oeste de Santa Catarina. In: II Congresso Brasileiro de Recursos Genéticos, Belém. Anais do II Congresso Brasileiro de Recursos Genéticos, 2012.

FERREIRA, D. F.; DE OLIVEIRA, A. C.; DOS SANTOS, M. X.; RAMALHO, M. A. P. Métodos de avaliação da divergência genética em milho e suas relações com os cruzamentos dialélicos. Pesq. agropec. bras., v. 30, n. 9, p. 1189-1194, 1995.

HALLAUER, A. R.; MIRANDA FILHO, J. B. Quantitative genetics in maize breeding. Ames: Iowa State University Press, 1981.

MINGOTI, S. A. Análise de dados através de métodos de estatística multivariada: uma abordagem aplicada. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2005.

MIRANDA, G. V.; COIMBRA, R. R.; GODOY, C. L.; SOUZA, L. V.; GUIMARÃES, L. J. M. & MELO, A. V. Potencial de melhoramento e divergência genética de cultivares de milho-pipoca. Pesq. agropec. bras., v.38, n.6, p. 681-688. 2003.

OGLIARI, J. B.; ALVES, A. C.; KIST, V.; FONSECA, J. A.; BALBINOT, A. Análise da diversidade Genética de variedades locais de milho do extremo Oeste de Santa Catarina. In: V Congresso Brasileiro de Agroecologia, Porto Alegre. Anais do V Congresso Brasileiro De Agroecologia, 2007.

ZEVEN, A.C. Landraces: A review of definitions and classifications. Euphytica, 104: 127–139, 1998.

Downloads

Publicado

2016-05-17

Edição

Seção

IX CBA 8. Biodiversidade e Bens Comuns.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)