Levantamento etnobotânico de plantas medicinais na comunidade Malhada do Pau-ferro Feira Nova/SE

Autores

  • Sarita Socorro Campos Pinheiro Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe
  • José Dantas Gusmão Filho Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe
  • Ivanice Leite Conceição Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe
  • Josefa Raimunda Dória Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe
  • Eliane Dalmora Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe

Palavras-chave:

Etnobotânico

Resumo

Objetivou-se realizar o levantamento etnobotânico de espécies medicinais que apresentam indicação terapêutica usadas pela comunidade da Malhada do Pau-ferro no município de Feira Nova/SE. Aplicou-se questionário semiestruturado com 38 moradores sendo 71,1% mulheres e 28,9% homens. Os entrevistados correspondem a faixa etária entre 32 a 92 anos. Foram coletadas 40 espécies medicinais, das quais 80% são nativas e 20% são exóticas. Estas espécies devidamente identificadas por meio de técnicas taxonômicas no Herbário Aracajú Sergipe (ASE) e estão distribuídas entre 21 famílias: Lamiaceae, Asteraceae, Apiaceae, Malvaceae, Vitaceae, Plitolaceae, Lythraceae, Oxalidaceae, Rutácea, Myrtaceae, Chenopodiaceae, Rosaceae, Fabaceae, Anarcadiaceae, Sapotaceae, Euphorbiaceae, Phamnaceae, Poaceae, Solanaceae, Passifloracae, Celastraceae. Observou-se que a comunidade Malhada do Pau-ferro possui conhecimento e aplicação das plantas medicinais como produto terapêutico na cura e tratamento de enfermidades.

Biografia do Autor

Sarita Socorro Campos Pinheiro, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Roraima, mestrado e doutorado em Fitotecnia - Produção Vegetal (Agroecologia) pela Universidade Federal de Viçosa. Atualmente é professora do Curso Superior Tecnologia em Agroecologia e Técnico em Agropecuária no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe, Campus São Cristóvão. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Agroecologia, atuando principalmente nos seguintes temas: fruticultura, adubação verde, adubos orgânicos, olericultura e plantas medicinais.

José Dantas Gusmão Filho, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe

Possui graduação em Zootecnia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia e mestrado em Zootecnia pela Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia. Atualmente é docente do Instituto Federal de Sergipe. Tem experiência na área de Zootecnia, com ênfase em Avaliação, Produção e Conservação de Forragens, atuando principalmente nos seguintes temas: conforto térmico, manejo agroecológico de animais, manejo agroecológico das pastagens, ambiência e bioclimatologia

Ivanice Leite Conceição, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe

Tecnóloga em Agroecologia pelo Instituto Federal de Sergipe. Possui experiência nas atividades de pesquisa e extensão em Plantas Medicinais e controle de pragas e doenças.

Josefa Raimunda Dória, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe

Tecnóloga em Agroecologia pelo Instituto Federal de Sergipe. Possui experiência nas atividades de pesquisa e extensão em Plantas Medicinais e controle de pragas e doenças.

Eliane Dalmora, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Sergipe

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Santa Maria, mestrado em Extensão Rural pela Universidade Federal de Santa Maria e doutorado em Interdisciplinar em Ciências Humanas pela Universidade Federal de Santa Catarina. Docente no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sergipe- Campus São Cristóvão. Atua no Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia. Tem experiência na área de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural, atuando principalmente nas seguintes temáticas: agricultura familiar, agroecologia, ecodesenvolvimento, etnodesenvolvimento e sistemas de produção. Atualmente desenvolve pesquisa e extensão em agrobiodiversidade, num programa de caracterização e conservação de sementes crioulas em assentamentos rurais e na agricultura familiar

Referências

ALBERTASSE, P.D.; THOMAZ, L.D. and ANDRADE, M.A..Plantas medicinais e seus usos na comunidade da Barra do Jucu, Vila Velha, ES. Rev. bras. plantas med. [online]. 2010, vol.12, n.3, pp. 250-260. ISSN 1516-0572. http://dx.doi.org/10.1590/S1516-05722010000300002.

VENDRUSCOLO, G.S.; MENTZ, L.A. Levantamento etnobotânico das plantas utilizadas como medicinais por moradores do bairro Ponta Grossa, Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Iheringia, Série Botânica, v.61, n.1/2, p.83-103, 2006.

Downloads

Publicado

2016-05-15

Edição

Seção

IX CBA 1. Sócio biodiversidade e Território.