A importância das mulheres para os quintais agroflorestais da comunidade rural Cabeça Branca no munícipio de Sumé, Paraíba, Brasil

Autores

  • Daniel Vilar Vilar da Silva Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
  • Alecksandra Vieira Lacerda Professora do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido da Universidade Federal de Campina Grande
  • Azenate Campos Gomes Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Agronomia da Universidade Federal da Paraíba
  • Karlla Karem Silva Engenheira de Biossistemas
  • Ladja Naftaly Rodrigues Oliveira Tecnóloga em Agroecologia da Prefeitura Municipal de Sumé, Paraíba

Resumo

Os quintais agroflorestais são espaços de cultivo de plantas e criação de pequenos animais, que contribui significativamente para segurança alimentar e nutricional de inúmeras famílias rurais pelo mundo, proporcionando equilíbrio ecológico nos agroecossistemas ao consorciar o cultivo de plantas agrícolas e florestais. Por circundarem a residência da família, os quintais são considerados em sua imensa maioria como um espaço de domínio da mulher. Este trabalho busca contribuir com o reconhecimento e a visibilidade da importância trabalho da mulher rural através do manejo dos quintais. O trabalho vem sendo desenvolvido desde 2011 em comunidades rurais do município de Sumé no Estado da Paraíba. Na comunidade de Cabeça Branca, a pesquisa abrangeu 11 informantes e contou com a aplicação de questionários e entrevistas, o levantamento dos dados comprovaram que na maioria absoluta dos quintais pesquisados, ou seja, em 63%, o manejo dos quintais é realizado pelas mulheres.

Biografia do Autor

Daniel Vilar Vilar da Silva, Universidade Federal da Paraíba (UFPB)

Tecnologo em Agroecologia pela UFCG/CDSA, mestrando do Programa de Pós - Graduação em Ciencias Agrárias (Agroecologia) da UFPB.

Alecksandra Vieira Lacerda, Professora do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido da Universidade Federal de Campina Grande

Possui graduação em Licenciatura em Ciências com Habilitação em Biologia pela Universidade Federal da Paraíba (1998), mestrado em Desenvolvimento e Meio Ambiente pela Universidade Federal da Paraíba (2001) e doutorado em Ecologia e Recursos Naturais pela Universidade Federal de São Carlos (2007). Atualmente é Professora Adjunto, Nível III, do Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido da Universidade Federal de Campina Grande. Tem experiência na área de Ecologia, com ênfase em Ecologia de Ecossistemas, atuando principalmente nos seguintes temas: ecologia e dinâmica da Caatinga, gerenciamento e manejo de bacias hidrográficas, etnoecologia e flora e estrutura de áreas ciliares.

Azenate Campos Gomes, Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Agronomia da Universidade Federal da Paraíba

Mestranda em Agronomia no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal da Paraíba, com atuação na linha de pesquisa Ecologia, Manejo e Conservação de Recursos Naturais. Possui graduação no curso Superior de Tecnologia em Agroecologia da Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) - Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiárido (CDSA), com experiência em pesquisa e extensão na área de manejo de Agroflorestas, ecologia de ecossistemas com ênfase em Recuperação de áreas degradadas na Caatinga.

Karlla Karem Silva, Engenheira de Biossistemas

Engenheira de Biossistemas pela Universidade Federal de Campina Grande, no campus: Centro de Desenvolvimento Sustentável do Semiarido com linha de pesquisa na ecologia, manejo e conservação de recursos naturais.Área de atuação em Recuperação de áreas degradadas e Ecologia. Atuando com mais frequência em: Ecologia e dinâmica da caatinga, florística de áreas de mata ciliares.

Ladja Naftaly Rodrigues Oliveira, Tecnóloga em Agroecologia da Prefeitura Municipal de Sumé, Paraíba

Possui graduação em TECNOLOGIA EM AGROECOLOGIA pela Universidade Federal de Campina Grande (2013) . Atualmente é Colaboradora da Universidade Federal de Campina Grande. Tem experiência na área de Agronomia , com ênfase em CIENCIAS AGRARIAS.

Referências

ABRANTES, Karla Karolline de Jesus et al. Os Meios de Comercialização do Excedente do Quintal Produtivo: Desenvolvendo uma Ação Humana Sustentável. In: ENCONTRO REGIONAL DA SOBER NORDESTE, 8., 2013, Parnaíba. VIII SOBER Nordeste. Parnaíba: Sober, 2013. v. 8, p. 1 - 16. Disponível em: <http://www.viiisoberne.com.br/anais/ARQUIVOS/GT3-248-151-20131006161750.pdf>. Acesso em: 30 mar. 2015.ALMEIDA,

Juliete Amanda Theodora de et al. A invisibilidade parcial do trabalho feminino no campo das atividades produtivas. In: ENCONTRO DA REDOR, 18., 2014, Recife. 18º Redor - Rede Feminista Norte e Nordeste de Estudos e Pesquisa sobre a Mulher e Relações Gênero. Recife: Redor, 2014. v. 18, p. 3740 - 3750. Disponível em: <http://www.ufpb.br/evento/lti/ocs/index.php/18redor/18redor/paper/viewFile/1957/876>. Acesso em: 30 mar. 2015.BURG, Ines Claudete; LOVATO, Paulo Emilio. Agricultura Familiar, Agroecologia e Relações de Genêro. Revista Brasileira de Agroecologia, Porto Alegre, v. 2, n. 1, p.1522-1528, dez. 2007. Quadrimestral. Disponível em: <http://www.abaagroecologia.org.br/revistas/index.php/rbagroecologia/index>. Acesso em: 21 mar. 2015.CENTRO DE PESQUISA E ASSESSORIA ESPLAR (Fortaleza). Esplar. Quintais produtivos numa perspectiva agroecológica e de superação das desigualdades de gênero. In: ACTIONAID BRASIL (Rio de Janeiro). Actionaid Brasil (Org.). Mulheres e Agroecologia: Sistematizações de experiências de mulheres agricultoras. Rio de Janeiro: Provisual, 2010. Cap. 4. p. 53-59.Mensall. PACHECO, Maria Emília Lisboa. Os caminhos das mudanças na construção da Agroecologia pelas mulheres. Revista Agriculturas: experiências em agroecologia, Rio de Janeiro, v. 6, n. 4, p.4-8, dez. 2009. Mensal. SANTOS, Rosana Cavalcanti dos et al. As mulheres e seus quintais no Acre. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE AGROECOLOGIA DO ACRE, 1., 2013, Cruzeiro do Sul.ANAIS DO I SIMPÓSIO DE AGROECOLOGIA DO ACRE. Cruzeiro do Sul: Edufac, 2013. p. 77 - 78. Disponível em: <http://www2.ifac.edu.br/cvtagroecologia/anais-do-1-simposio-internacional-de-agroecologia-do-acre/>. Acesso em: 30 mar. 2013.SILVA, Marialda Moura da. Fonte de água viva: soberania alimentar e ação das mulheres na Rede Xique-Xique. Revista Agriculturas: experiências em agroecologia,Rio de Janeiro, v. 6, n. 4, p.28-31, dez. 2009. Mensal.

Downloads

Publicado

2016-05-16

Edição

Seção

IX CBA 4. Gênero e Agroecologia.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)