Uso de agrotóxicos e perspectiva agroecológica dos agricultores do pré-assentamento Che Guevara-RO

Autores

  • Manoel da Silva Soares Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Nilbe Carla Mapeli Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Cassiano Cremon Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Adeilson Nascimento da Silva Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Adriano Pereira Mandarino Universidade do Estado de Mato Grosso

Resumo

O trabalho teve por objetivo avaliar a percepção sobre o uso de agrotóxicos e perspectivas agroecológicas no pré–assentamento Che Guevara, por meio de questionário. O questionário foi aplicado com 100 agricultores da comunidade. As análises dos dados quantitativos foram realizadas por meio de estatística descritiva utilizando- se de frequência absoluta e relativa. Identificou-se que 70% dos entrevistados fazem aplicação de agrotóxicos sem nenhuma orientação técnica e receituário agronômico, e que a maioria dos agricultores não tem o hábito de ler o rótulo dos produtos, isso possivelmente possa estar relacionada ao baixo nível de escolaridade existente e não respeitar o período de carências dos produtos. Mesmo sabendo dos benefícios que as práticas agroecológicas podem proporcionar, os agricultores não a utilizam por falta de orientações técnicas.

Biografia do Autor

Manoel da Silva Soares, Universidade do Estado de Mato Grosso

Graduando de Agronomia pela Universidade do Estado de Mato Grosso

Nilbe Carla Mapeli, Universidade do Estado de Mato Grosso

Departamento de agronomia da área de fitotecnia

Cassiano Cremon, Universidade do Estado de Mato Grosso

Departamento de Agronomia da área de Ciência do Solo.

Adeilson Nascimento da Silva, Universidade do Estado de Mato Grosso

Graduando de Agronomia pela Universidade do Estado de Mato Grosso

Adriano Pereira Mandarino, Universidade do Estado de Mato Grosso

Graduando de Agronomia pela Universidade do Estado de Mato Grosso

Referências

ALVES FILHO, J. P. Medidas individuais de proteção no trabalho com agrotóxicos: indicações básicas e limitações. In: Simpósio Internacional de Tecnologia de Aplicação de Agrotóxicos: Eficiência, Economia e Preservação da Saúde Humana e do Ambiente, 2001, Jundiaí. Anais... Campinas: Instituto Agronômico de Campinas, p. 1-8. 2001.

ANDRIOLI, A. I. Tecnologia e agricultura familiar: o movimento Agroecológico como espaço de educação. n. 3., 2007 p.1-16

BORBA, M.; GOMES, C. C. J. Percepção Ecológica e a pesquisa Agropecuária. Revista Brasileira de Agroecologia, v. 2, n. 1, p. 469-499, 2007.

GARCIA, E. G.; ALVES FILHO, J. P. Aspectos de prevenção e controle de acidentes no trabalho com agrotóxicos. São Paulo: Fundacentro, 2005.

MOREIRA, K. F. A. Diagnóstico local do município de Alto alegre dos Parecis–RO. 2008. Disponivel em: . Acesso em: 02/06/2010.

SILVA, A.; BARBOSA, A. Comportamento de diferentes variedades de alface sob cultivo agroecológico em comunidade do Semi-árido Nordestino. 2007. Disponivel em: <http://www.infoteca.cnptia.embrapa.br/bitstream/CPATSA/36826/1/OPB1611.pdf>. Acesso em: 02/06/2010.

VERAS, M. M. Agroecologia em assentamentos do MST no Rio Grande do Sul: entre as virtudes do discurso e os desafios da prática. 2005. Disponível em: < http://www.mst.org.br>. Acesso em: 08 nov. 2009.

Downloads

Publicado

2016-05-16

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)