O fortalecimento da identidade do Grupo MOBI - Mulheres Organizadas Buscando a Independência, por meio da experiência na construção coletiva do seu regimento

Autores

  • Isabella Labigalini Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais - Câmpus Inconfidentes
  • Aloisia Rodrigues Hirata Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais - Câmpus Inconfidentes
  • Luiz Carlos Dias Rocha Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais - Câmpus Inconfidentes
  • Flora Aparecida Teixeira Castro EMATER-MG
  • Nildo Batista Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais - Câmpus Inconfidentes
  • Katia Maria Alqualo Empresária - Luz Vitral

Palavras-chave:

Mulheres Rurais, Metodologia Participativa, Empoderamento, Gênero

Resumo

Em 2006 surgiu um grupo de Mulheres Organizadas Buscando a Independência (MOBI) composto principalmente por produtoras de café orgânico, na Cooperativa de Agricultores Familiares de Poço Fundo e região, em Minas Gerais. Neste grupo participam mais de 30 mulheres que trabalham pela igualdade de direitos nas relações de gênero em seu meio social e familiar. O presente relato compartilha as ações e resultados de um projeto de fortalecimento da identidade do grupo MOBI, que por meio de um diagnóstico identificou, dentre outras, a necessidade da construção de um regimento interno para clarear seus objetivos definindo participativamente o funcionamento e as metas do grupo. Com a construção coletiva do regimento interno de maneira participativa e reflexiva, conseguiu-se entre outras coisas, o fortalecimento de sua identidade, a apropriação de consciência sobre os objetivos e o sentido de existir enquanto um grupo, além de regulamentar seu funcionamento e normatizar suas ações.

Biografia do Autor

Isabella Labigalini, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais - Câmpus Inconfidentes

Membro do Grupo de Estudos em Agroecologia e Entomologia - Raiz do Campo. Graduação em andamento em Engenharia Agronômica pelo IFSULDEMINAS - Câmpus Inconfidentes.

Aloisia Rodrigues Hirata, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais - Câmpus Inconfidentes

Possui graduação em Pedagogia pela Universidade Federal de Viçosa (1995). Especialização em Extensão Rural, Agroecologia e Desenvolvimento Sustentável pela Universidade Vale do Rio Verde (2006). Trabalhou como Extensionista e Coordenadora de Bem Estar Social na EMATER-MG (2000 a 2012) atuando como gestora regional dos Projetos Transformar (capacitação de Jovens Rurais) e Inovar - Capacitação de Extensionistas e do Programa Minas Sem Fome - Capacitações de Agricultores. Também na Emater-MG, participou da Comissão Regional de Segurança Alimentar e Nutricional Sustentável, orientando agricultores e prefeituras na Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar por meio do PNAE e PAA, na constituição de associações e Conselhos Municipais de Desenvolvimento Rural Sustentável. Atualmente, desenvolve projetos em temas como Sistemas Participativos de Garantia - SPG, Indicação Geográfica, catalogação e preservação de sementes crioulas do sul de Minas e é Diretora de Extensão junto a Pró-Reitoria de Extensão do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais.

Luiz Carlos Dias Rocha, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais - Câmpus Inconfidentes

Graduado em Agronomia pela Universidade Federal de Lavras (2001). Mestre em Agronomia/Entomologia (2004) e Doutor em Agronomia/Entomologia - UFLA (2008). É professor efetivo do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais - Câmpus Inconfidentes, MG. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Entomologia Agrícola, Meio ambiente e Agroecologia, atuando principalmente nos seguintes temas: extensão rural, controle biológico, Sistemas Participativos de Garantia - SPG, Manejo integrado de pragas, impacto de pesticidas e produção integrada de frutas (PIMorango) e catalogação de sementes crioulas. Coordenador do Curso Superior de Gestão Ambiental (2007-2010) e Coordenador de Pesquisa e Extensão (2009-2010). E atualmente é Diretor do Departamento de Administração e Planejamento do IFSULDEMINAS-Câmpus Inconfidentes e participa ativamente do projeto para o fortalecimento da Agroecologia no Sul de Minas e catalogação de sementes crioulas.

Flora Aparecida Teixeira Castro, EMATER-MG

Possui graduação em Pedagogia pelo Centro Universitário de Formiga (1987) e Pós- Graduação em Tecnologia e Qualidade de Alimentos Vegetais pela Universidade Federal de Lavras (2005). Atualmente é coordenadora tecnica regional de bem estar social da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais, no Pólo Sul de Minas, atuando nas unidades regionais de Alfenas, Guaxupé, Lavras, Passos e Pouso Alegre. Tem experiência na área de Economia Doméstica, com ênfase em Bem Estar Social, como extensionista local durante 24 anos, nos municípios de Carmópolis de Minas, Itaguara e Formiga, trabalhando nas comunidades rurais com jovens, mulheres, conselhos e associações comunitárias. Instrutora de vários cursos nas áreas de processamento de alimentos, segurança alimentar e nutricional, rotulagem de alimentos, artesanato, vestuário e organização rural. Atua como Gestora Regional do Projeto Transformar de Capacitação de Jovens Rurais, desde 2007 (Projeto Estruturador da EMATER-MG) e também responsável pelas políticas públicas de comercialização para agricultura familiar: Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) e Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) no sul de Minas.

Nildo Batista, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais - Câmpus Inconfidentes

Possui graduação em História pela Universidade Federal de São João Del-Rei (2007) e especialização em Estudos de Criminalidade e Segurança Pública pela Universidade Federal de Minas Gerais (2009). É mestrando em Educação Tecnológica no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET/MG) e exerce atividades como Técnico em Assuntos Educacionais na Reitoria do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas Gerais (IFSULDEMINAS), estando atualmente contribuindo com a caracterização histórica da banana da região do Alto Sapucaí, com objetivo de obtenção de selo de indicação geográfica.

Katia Maria Alqualo, Empresária - Luz Vitral

Possui graduação em Comunicação Social - com Habilitação em Publicidade e Propaganda pela Universidade Metodista de São Paulo (1993). Experiência de 11 anos em agências de propaganda em criação e produção gráfica e empresas na área de marketing e eventos. Empresária da Luz Vitral - Arte em Vidro desde 2007, atua na área de criação, desenvolvimento, elaboração, produção e comercialização de produtos em vidro, crochê, tricô, patchwork, metais e materiais recicláveis. Paralelamente à Luz Vitral atuou durante 2 anos em projetos Sociais como a Apac - Associação de Proteção e Assistência aos Condenados de Pouso Alegre, onde realizou um trabalho de laborterapia, com desenvolvimento de produtos feitos em mosaico de pastilhas de vidro e produtos artesanais em geral.

Downloads

Publicado

2016-05-20

Edição

Seção

IX CBA-Agroecologia / Relatos de Experiências

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)