Determinação dos componentes da casca da manga (Mangifera indica L.), cultivados sem agrotóxico, de quintais produtivos de agricultores familiares do semiárido pernambucano.

Autores

  • Moisés Felix de Carvalho Neto Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF
  • Edigar Mendes de SÁ JUNIOR IF Sertão Pernambucano

Resumo

As cascas de frutas, que são consideradas a parte não comestível dos vegetais, possuem mais nutrientes que as polpas. No Brasil, como em outros países, a manga é consumida principalmente na forma in natura e os subprodutos como a casca ainda são pouco utilizados na dieta alimentar e existem lacunas sobre as propriedades e componentes dessa fruta cultivadas em agroecossistemas de base ecológicas. Assim, esse trabalho teve como objetivo determinar os componentes da casca da manga (Mangifera indica L.), cultivadas sem agrotóxico, de quintais produtivos de agricultores familiares do semiárido pernambucano. Os frutos foram adquiridos nos quintais produtivos de agricultores familiares no município de Petrolina e destinados ao Laboratório Experimental de Alimentos do IF Sertão Pernambucano para realização das análises de umidade, cinzas, proteína, lipídeos, fibra alimentar e carboidratos. Os dados da caracterização físico-química mostraram que a água e os carboidratos foram os componentes encontrados em maior quantidades na casca de manga. Assim, sugere-se a utilização da casca da manga, cultivadas sem agrotóxico, como fonte alternativa de carboidratos em produtos alimentícios como doces e geleias para contribuir na segurança alimentar e nutricional, na saúde coletiva e no consumo sustentável. Palavras-chave: Agroecologia; Segurança alimentar e nutricional; Saúde; Tecnologia de alimentos.

Biografia do Autor

Moisés Felix de Carvalho Neto, Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade do Estado da Bahia-UNEB (2009). Licenciatura plena em Matemática pela UPE - Campus III (2014), em andamento. Possui Curso de Aperfeiçoamento em Agricultura Familiar e Sustentabilidade dos povos do campo e tradicionais do campo pela UFRPE/UAG (360h) com ênfase nos eixos temáticos: Organização Social, Políticas Públicas, Cidadania, Sistema de Produção e Processos de trabalho no campo, Economia Solidária, Desenvolvimento Territorial Sustentável, Identidade, Etnia, Cultura, Gênero, Geração. Cursando a especialização lato sensu em Metodologias Participativas Aplicadas à Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural pela Universidade Federal do Vale do São Francisco - UNIVASF (2014). Mestrando em Produção Vegetal pela UNIVASF (2014) numa perspectiva do etnoconhecimento e manejo agroecológico. Exerceu a função de Educador Social Profissionalizante dos arcos ocupacionais das ciências agrárias no Programa de Educação do Campo - Projovem Campo: Saberes da Terra II, com o movimento quilombola e ribeirinho e no Saberes da Terra IV, com assentados da reforma agrária e educação camponesa através do MEC/SECAD/ Governo do Estado de Pernambuco além da relação com outros povos tradicionais e do campo. Desenvolveu atividades como Coordenador Técnico do Projeto Pontos de Cultura do Estado de Pernambuco do MEC/Fundarpe no Espaço Artístico e Cultural do Samba e Véio na Ilha do Massangano, comunidade quilombola contemporânea, município de Petrolina-PE (2009) e como Coordenador técnico dos cursos de Qualificação Profissional do projeto de Ações e gestão integrada de enfrentamento as mudanças climáticas pelo convênio FEMA/SCT/APROSFAM. Coordenou o Projeto Semeando Renda na cadeia sócioprodutiva da Fruticultura – Beneficiamento de Frutas pelo convênio MDS/BNDES/SEDES/IDESA no território do Sisal, Bahia. Tem experiência na elaboração de projetos, como também instrutor de oficinas temáticas e cursos de formações e qualificação social, com ênfase em tecnologias sociais, tecnologia de alimentos de origem vegetal, associativismo e cooperativismo, gestão socioambiental, planejamento estratégico, organizacional e nos processos de gestão de associações comunitárias. Atuou como Extensionista Rural na Assessoria técnica, social e ambiental – ATES pelo convênio INCRA/ICN. Além de experiência na área de Educação Matemática, Educação do campo, povos tradicionais e Educação Popular. No Programa Xingu, através do Instituto Socioambiental (ISA), atuou nos processos de pesquisa, desenvolvimento, gestão e capacitação socioambiental junto às associações indígenas e na organização de cadeias socioprodutivas de alternativas econômicas e negócios sustentáveis e viáveis na dinâmica indígena. Coordenou os processos de gestão da tecnologia social PAIS, através do convêncio Fundação BB/ASSOCENE na região da Mata Sul de Pernambuco. Coordenadou do Projeto Cisternas e convivência com o semiárido através do convênio MDS/SEDES/ASA-BA/ COFASPI no território da Chapada Diamantina. Atualmente é Bolsista profissional do CNPq no Núcleo de Pesquisa e Estudos em Agroecologia(NUPESA): Sertão Agroecológico.

Edigar Mendes de SÁ JUNIOR, IF Sertão Pernambucano

Graduado em Tecnologia em Alimentos pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano (IF - Sertão Pernambucano) e do Curso de Licenciatura em Ciências Biológicas pela Universidade de Pernambuco - Campus Petrolina (UPE). Área - Tecnologia em Alimentos.

Referências

ASCAR, J. M. Alimentos: Aspectos bromatológicos e legais. Análise percentual. São Leopoldo RS, Unisinos editora, v.1, 1985, p. 257 263.

BRASIL, Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Métodos físico-químicos para análise de alimentos. Brasília: Editora MS, p. 1017, 2005.

FIORI, M. G. S. M.; SCHOENHALS, FOLLADOR, F. A. C. Análise da evolução tempo-eficiência de duas composições de resíduos agroindustriais no processo de compostagem aeróbia. Engenharia Ambiental, v. 5: p. 178 -191, 2008.

GONDIM, A. M.; MOURA, V. M. F.; DANTAS, S.A.; MEDEIROS, R. L. S.; SANTOS, K. M. Com¬posição Centesimal e de minerais em cascas de frutas. Ciência Tecnologia de Alimentos. v. 25, n. 4. Campinas, 2005. p. 825-827.

LIMA, L. M. Q. Lixo: tratamento e biorremediação. São Paulo: Editora Hemus, p. 265, 2004.

MARQUES, A.; CHICAYBAM, G.; ARAUJO, M. T.; MANHÃES, L. R. T.; SABAA – SRUR, A. O. Composição centesimal e de minerais de casca e polpa de manga (Mangifera indica L.) CV. Tommy Atkins. Revista Brasileira de Fruticultura, v.32, n.4, p.1206 – 1210, 2010.

OLIVEIRA, L. F.; NASCIMENTO, M. R. F.; BORGES, S. V.; RIBEIRO, P. C. N.; RUBACK, V. R. Aproveitamento alternativo da casca do mara¬cujá-amarelo (Passiflora edulis F. Flavicarpa) para produção de doce em calda. Ciência e Tecnologia Alimentos. v. 22, n. 3. Campinas, 2002. p. 259- 262.

Downloads

Publicado

2016-05-16

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)