Caracaterização socioeconômica da comunidade quilombola de Abacatal, Ananindeua, estado do Pará

Autores

  • Diana Rocha dos Anjos Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Renan da Silva e Silva Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Allyne dos Santos Araújo Universidade Federal Rural da Amazônia
  • Marcos Antônio Souza dos SANTOS Universidade Federal Rural da Amazônia

Resumo

O artigo avalia o perfil socioeconômico dos moradores da comunidade quilombola de Abacatal, município de Ananindeua, estado do Pará. Os dados foram coletados por meio de questionário e entrevistas diretas com os moradores da comunidade. Foram entrevistadas 39 pessoas, 74,36% do sexo feminino e 25,64% do sexo masculino, sendo 97,24% naturais do estado do Pará e somente 2,56% de outros estados. O nível de instrução é baixo, pois 51,28% possuem o ensino fundamental incompleto e 17,95% apenas assinam o nome. Mas 7,69% já possuem formação de nível superior. Apesar da proximidade com o centro urbano estas famílias enfrentam acentuados problemas de acesso a serviços básicos como saúde, educação, saneamento e transporte. A agricultura é desenvolvida por 89,74% das famílias, principalmente como fonte de renda e complementação alimentar, sendo que os excedentes de produção são comercializados no centro de Ananindeua.

Biografia do Autor

Marcos Antônio Souza dos SANTOS, Universidade Federal Rural da Amazônia

Pró-Reitor Adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Institucional

Downloads

Publicado

2016-05-15

Edição

Seção

IX CBA 1. Sócio biodiversidade e Território.