Inovações metodológicas: caravana agroecológica como processo de análise dos territórios e agroecologia

Autores

  • marcio silva Universidade Federal de Viçosa
  • Leandro Souza Lopes Universidade Federal de Viçosa

Resumo

Este estudo buscou analisar as caravanas agroecológicas e culturais como uma inovação metodológica de análise dos territórios e agroecologia. Uma metodologia que trata de questões que vão além dos agroecossistemas, mas que incidem diretamente nos mesmos a partir das dimensões que compõe os diferentes territórios. Para tanto, fez-se uma análise dos relatórios elaborados a partir das caravanas que ocorreram em 12 regiões de diferentes estados brasileiros no ano de 2013 e a participação na primeira caravana que ocorreu na zona da mata - MG. Identificou-se no estudo que as caravanas proporcionaram uma análise dos territórios, promoveu diferentes interações entre agricultores, técnicos e professores e orientou a ações das organizações sociais que trabalham com agroecologia, inserindo novos temas nos processos educativos junto aos agricultores familiares.

Biografia do Autor

marcio silva, Universidade Federal de Viçosa

Professor do Departamento de Educação da Universidade Federal de Viçosa -MG

Leandro Souza Lopes, Universidade Federal de Viçosa

Licenciado em Ciências Sociais pela Universidade Federal de Viçosa

Referências

CAPORAL, F. R. La extensión agraria del sector público ante los desafíos del desarrollo sostenible: el caso de Rio Grande do Sul, Brasil. 1998. 517 f. Tese (Doutorado em Agroecología, Campesinado e História) – ISEC-ETSIAN, Universidad de Córdoba, Córdoba, España, 1998. CHAMBERS, R.The origins and practice of participatory rural appraisal.World Development, v. 22, n. 7, p. 953-969, 1994.

FREIRE, Paulo. Extensão ou Comunicação? Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2002, 12ª ed.

MACHÍN SOSA, B.; JAIME, A. M. R.; LOZANO, D. R. A; ROSSET, P. M. Revolução Agroecológica: O Movimento Camponês a Camponês da ANAP em Cuba. 1ª Ed. São Paulo: Outras Expressões, 2012.

WEID, J. M. V. D. A trajetória das abordagens participativas para o desenvolvimento na prática das ONGs no Brasil. In: BROSE, M. (Org.) Metodologias participativas: uma introdução a 29 instrumentos. Porto Alegre: Tomo Editorial, 2001. p.104-112.

PETERSEN, P. e ALMEIDA, S.G. de. Rincões transformadores: trajetória e desafios do movimento agroecológico brasileiro – uma perspectiva a partir da Rede PTA. ASPTA, Rio de Janeiro, (mimeo), 2004.

SANTOS, M. A Natureza do Espaço: Técnica e Tempo, Razão e Emoção. 4 ed. 7. Reimpressão. – São Paulo: Editora da USP, 2012, 1996.

Downloads

Publicado

2016-05-16

Edição

Seção

IX CBA 5. Construção do Conhecimento Agroecológico