Percepção de agricultores familiares com relação à agroecologia e agricultura orgânica no município de Campo Largo/PR.

Autores

  • Sandra Andrea Engelmann Instituto Federal do Paraná (IFPR).
  • Ana Paula Cavalheiro de Andrade Instituto Federal do Paraná (IFPR).
  • Felipe Pinho de Oliveira Instituto Federal do Paraná (IFPR).
  • Rodrigo Souza Instituto Federal do Paraná (IFPR).
  • André Alves de Albuquerque Gabardo CNPq - Bolsista EXP-C

Resumo

O IFPR – Campo Largo oferta o curso técnico em Agroecologia que vem sendo reestruturado segundo a Pedagogia da Alternância. Assim, evidencia-se a necessidade de conhecer a realidade sociocultural, econômica, ambiental e tecnológica dos agricultores familiares, a fim de identificar as potencialidades e dificuldades de execução do referido curso. A pesquisa foi realizada durante out/nov de 2014, com 25 famílias. O objetivo deste artigo é apresentar o perfil das mesmas e discutir a percepção com relação à agricultura orgânica e a Agroecologia. Realizou-se a aplicação de questionário e entrevista semi-estruturada. Observa-se que 49% da amostra é composta por agricultores adultos e 64% não terminaram o ensino fundamental. Com relação a percepção, 64% desconhecem o que é Agroecologia, enquanto 56% já ouviram falar em agricultura orgânica. Os dados apresentam a necessidade de uma ação sistemática no sentido de divulgar a Agroecologia e promover o debate para construção participativa do curso.

Biografia do Autor

Sandra Andrea Engelmann, Instituto Federal do Paraná (IFPR).

Formada em Licenciatura em Geografia, mestrado em Gestão do Território. Desenvolve pesquisas na área de Geografia Agraria e Agroecologia. Professora EBTT.

Ana Paula Cavalheiro de Andrade, Instituto Federal do Paraná (IFPR).

Engenheira Agrônoma, com mestrado em Agroecossistemas. Professora do curso de Agroecologia no IFPR, Campus Campo Largo.

Felipe Pinho de Oliveira, Instituto Federal do Paraná (IFPR).

Engenheiro Florestal, Mestrado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal de Viçosa, Brasil(2011) Professor do Instituto Federal do Paraná , Brasil

Rodrigo Souza, Instituto Federal do Paraná (IFPR).

Doutor em Zootecnia pela Universidade Estadual de Maringá. Professor do IFPR, Campus Campo Largo.

André Alves de Albuquerque Gabardo, CNPq - Bolsista EXP-C

Engenheiro Agrônomo pela Universidade Federal do Paraná. Bolsista EXP-C.

Referências

Associação Brasileira de Horticultura, 2012 disponivel em:. Acesso em 15 de Out. de 2013.

BRASIL. Ministério do Meio Ambiente. Secretaria de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental. Boas práticas em Educação Ambiental na agricultura familiar: exemplos de ações educativas e práticas sustentáveis no campo brasileiro. Brasília: MMA, DEA, 244p. 2012.

Censo Agropecuário 2006. Disponível em: www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1>. Acesso em 14 de Nov. de 2012.

CORDEIRO, G.N.K.; REIS, N.S.; HAGE, S.M. Pedagogia da Alternância e seus desafios para assegurar a formação humana dos sujeitos e a sustentabilidade do campo. Em Aberto, Brasília, v.24, n.85, p.115-125, abr. 2011.

GOLDENBERG, Mirian. A arte de pesquisar: Como fazer pesquisa qualitativa em Ciências Sociais. Rio de Janeiro: Record, 1997. p. 44 - 67.

IPARDES/IAPAR. O mercado de orgânicos no Paraná: caracterização e tendências. Curitiba, 2007.

IPARDES/IAPAR. O mercado de orgânicos no Paraná: caracterização e tendências. Curitiba, 2007.

LANDAU, E.C.; CRUZ, R. K.; Pimenta, A. H. F. M.; GUIMARÃES, D.P. Variação geográfica do tamanho dos módulos fiscais no Brasil. Sete Lagoas: Embrapa Milho e Sorgo, 2012.

MINAYO, Maria C. de S. Fase de trabalho de campo. In: O desafio do conhecimento. 7. ed. São Paulo-Rio de Janeiro: Hucitec-Abrasco, 2000a. p. 105 - 156.

ZONIN, W.J. Transição Agroecológica: modalidades e estágios na região metropolitana de Curitiba. Tese de Doutorado (Programa de Pós-Gradução em Meio Ambiente e Desenvolvimento), UFPR, 2007.

Downloads

Publicado

2016-05-16

Edição

Seção

IX CBA 5. Construção do Conhecimento Agroecológico

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)