Dinâmica do uso da floresta na agricultura migratória – um panorama sobre as comunidades de terra firme da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, médio Solimões, Amazonas

Autores

  • Fernanda Maria de Freitas Viana Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá - IDSM
  • Angela May Steward Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá - IDSM
  • Camille Rognant Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá - IDSM

Resumo

O objetivo deste artigo é apresentar uma breve descrição da dinâmica da agricultura migratória praticada pelos pequenos agricultores das comunidades tradicionais da Reserva de Desenvolvimento Sustentável Amanã, além de descrever os tipos de uso e formas de manejo dos agroecossistemas nestas comunidades. Pretendemos contribuir com as discussões atuais trazendo maiores informações sobre esta dinâmica e suas relações com a floresta, no contexto do desmatamento da Amazônia.

Biografia do Autor

Fernanda Maria de Freitas Viana, Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá - IDSM

Pesquisadora. Grupo de Pesquisa em Agricultura Amazônica, Biodiversidade e Manejo Sustentável e Programa de Manejo de Agroecossistemas.

Angela May Steward, Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá - IDSM

Pesquisadora. Grupo de Pesquisa em Agricultura Amazônica, Biodiversidade e Manejo Sustentável e Programa de Manejo de Agroecossistemas

Camille Rognant, Instituto de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá - IDSM

Pesquisadora. Grupo de Pesquisa em Agricultura Amazônica, Biodiversidade e Manejo Sustentável e Programa de Manejo de Agroecossistemas

Referências

BRADY, N. C. Alternatives to slash-and-burn: a global imperative. Agriculture, Ecosystems & Environment, v. 58, n. 1, p. 3–11, 1996.

FEARNSIDE, P. M. Deforestation in Brazilian Amazonia: history, rates, and consequences. Conservation Biology, v. 19, n. 3, p. 680–688, 2005.

LIMA, D. de M.; STEWARD, A.; RICHERS, B. T. Trocas, experimentações e preferências: um estudo sobre a dinâmica da diversidade da mandioca no Médio Solimões, Amazonas. Boletim do Museu Paraense Emılio Goeldi. Ciências Humanas, 2012.

METZGER, J. P. Landscape dynamics and equilibrium in areas of slash-and-burn agriculture with short and long fallow period (Bragantina region, NE Brazilian Amazon). Landscape Ecology, v. 17, n. 5, p. 419–431, 2002.

MYERS, N. Tropical forests: the main deforestation fronts. Environmental Conservation, v. 20, n. 01, p. 9–16, 1993.

NEVES, W. A; MURRIETA, R. S. S.; CRISTINA, A.; RIBEIRO FILHO, A. A.; PEDROSO JÚNIOR, N. N. Coivara: cultivo itinerante na floresta tropical. Ciência Hoje, v. 50, p. 26-30. 2012.

PADOCH, C.; PINEDO-VASQUEZ, M. Saving Slash-and-Burn to Save Biodiversity. Biotropica, v. 42, n. 5, p. 550–552, 2010.

PEDROSO JUNIOR, N. N.; MURRIETA, R. S. S.; ADAMS, C. A agricultura de corte e queima: um sistema em transformação. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 3, n. 2, p. 153–174, 2008.

RIBEIRO FILHO, A. A.; ADAMS, C.; MURRIETA, R. S. S. The impacts of shifting cultivation on tropical forest soil: a review. Boletim do Museu Paraense Emílio Goeldi. Ciências Humanas, v. 8, n. 3, p. 693–727, 2013.

VAN VLIET, N.; ADAMS, C.; VIEIRA, I. C. G.; MERTZ, O. “Slash and Burn” and “Shifting” Cultivation Systems in Forest Agriculture Frontiers from the Brazilian Amazon. Society & Natural Resources, v. 26, n. 12, p. 1454–1467, 2013.

Downloads

Publicado

2016-05-17

Edição

Seção

IX CBA 8. Biodiversidade e Bens Comuns.