Sobrevivência de espécies florestais 38 anos após recomposição na região do Tapajós

Autores

  • LUIZA DE SOUSA VIEIRA UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
  • JORGE ALBERTO GAZEL YARED Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA Amapá
  • SILVIO BRIENZA JÚNIOR Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA Amazônia Oriental

Palavras-chave:

Reserva Legal, Recuperação, Sistema Silvicultural.

Resumo

Visando subsidiar conhecimentos sobre a implantação de sistemas silviculturais como uma alternativa para a recomposição de Área de Reserva Legal, este estudo objetivou avaliar o desenvolvimento do sistema silvicultural Canteiro 36 plantas por espécie quanto à resposta a sobrevivência de diversas espécies florestais. O sistema apresentou taxa de sobrevivência das espécies de 9,5%. Conclui-se que a adoção de tratos silviculturais na área do experimento poderia diminuir a alta competitividade entre as espécies florestais plantadas e ainda entre estas e a vegetação espontânea favorecendo a sobrevivência das espécies florestais plantadas.

Biografia do Autor

LUIZA DE SOUSA VIEIRA, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

Engenheira Florestal graduada na Universidade Federal Rural da Amazônia (2011). Especialista em Gestão, Consultoria, Auditoria, Perícia e Fiscalização Ambiental pelo Instituto de Estudos Superiores da Amazônia (2013). Mestre em Ciências Ambientais pela Universidade Federal do Pará (2014). Realizou pesquisa em Taxonomia Botânica, no Museu Paraense Emílio Goeldi, no período de agosto de 2008 a julho de 2011, como bolsista do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica - PIBIC. Participou de Projeto de Pesquisa e Desenvolvimento na Embrapa Amazônia Oriental. Atuou como Professora Tutora da Universidade de Santo Amaro (2014). Possui experiência na área de Recursos Florestais com ênfase em Silvicultura e Manejo Florestal.

JORGE ALBERTO GAZEL YARED, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA Amapá

Possui graduação em Engenharia Florestal pela Universidade Federal do Paraná (1974), mestrado em Ciências Florestais [Esalq] pela Universidade de São Paulo (1983) e doutorado em Ciência Florestal pela Universidade Federal de Viçosa (1996). Atuou, de 1975 a 1978, como pesquisador no Centro de Pesquisa Florestal da Região Amazônica, no Projeto de Desenvolvimento e Pesquisa Florestal (Convênio IBDF/FAO-BRA-45), e de l978 a 2008, como pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Tem experiência na área de Recursos Florestais, especialmente na área de Silvicultura Tropical com ênfase nas seguintes linhas: Florestamento e Reflorestamento, silvicultura, manejo florestal e sistemas agroflorestais, possuindo mais de uma centena de publicações em autoria e co-autoria sobre essa temática. Exerceu diversos funções admnistrativas, ocupando, no periodo de 1977 a 1978, o cargo de Coordenador Regional do Centro de Pesquisa Florestal da Região Amazônica, no Projeto de Desenvolvimento e Pesquisa Florestal (Convênio IBDF/FAO-BRA-45). Na Embrapa, exerceu os cargos de Chefe Adjunto de Pesquisa e Desenvolvimento (1996-2000), Chefe Adjunto de Comunicação e Negócios Tecnológicos (2002-2005), Chefe Geral Substituto (1996-2000 e 2003-2005) e, posteriormente, Chefe Geral da Embrapa Amazônia Oriental (2005-2008). Também foi Diretor Técnico de Desenvolvimento de Cadeias de Produtos Florestais (2008-2009), do Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará e Secretário Adjunto da Secretaria de Governo do Estado do Pará (2009). Exerceu ainda o Cargo de Diretor Geral do Instituto de Desenvolvimento Florestal do Estado do Pará (2009-2010). Foi professor do Curso de Doutorado em Ciências Agrárias, Agroecossistemas Amazônicos, na Universidade Federal Rural da Amazônia (2000-2013). Atualmente, é Chefe Geral da Embrapa Amapá desde outubro de 2013.

SILVIO BRIENZA JÚNIOR, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - EMBRAPA Amazônia Oriental

Possui graduação em Engenharia Florestal pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz - USP (1978), mestrado em Solos e Nutrição de Plantas pela Universidade Federal de Viçosa - (UFV) (1988) e doutorado em Agricultura Tropical pela George August University of Goettingen, Alemanha (1999). Foi professor do curso de pós-graduação de doutorado em Ciências Agrárias da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA; 2000 até 2013), e atualmente é colaborador do curso de mestrado em Ciências Ambientais da Universidade Federal do Pará (UFPA). É pesquisador da Embrapa Amazônia Oriental desde 1979. Tem experiência na Amazônia brasileira com ênfase nos seguintes temas: recuperação de áreas degradadas, plantações florestais, sistemas agroflorestais e agricultura familiar.

Referências

FARIA, J. C. T. Crescimento inicial de espécies florestais em plantios mistos em Alegre – ES. Jerônimo Monteiro – ES, 2012. 49 p.

GOMES, J. M. et al. Sobrevivência de espécies arbóreas plantadas em clareiras causadas pela colheita de madeira em uma floresta de terra firme no município de Paragominas na Amazônia brasileira. Acta amazônica, v. 40, n. 1, p. 17-178, 2010.

INSTITUTO DE PESQUISAS TECNOLÓGICAS DO ESTADO DE SÃO PAULO – IPT. Catálogo de madeiras brasileiras para a construção civil. São Paulo: IPT, 2013. 103 p.

PASSOS, C. A.M.; BRAZ, E.M. Sistemas silviculturais e agroflorestais na fronteira agrícola da Amazônia. Agrossilvicultura, v. 1, n. 1, p. 91-98, 2004.

RODRIGUES, T. E. et al. Caracterização dos solos do planalto de Belterra, município de Santarém, Estado do Pará. Belém: Embrapa Amazônia Oriental, 2001. 55 p. (Documentos, nº 115).

SABOGAL, C. et al. Silvicultura na Amazônia Brasileira: avaliação de experiências e recomendações para implementação e melhoria dos sistemas. Belém: CIFOR, 2006. 190 p.

VIDAURRE, G. B. Caracterização anatômica, química e físico-mecânica da madeira de paricá (Schizolobium amazonicum) para produção de energia e polpa celulósica. 2010. 74 f. Tese (Doctor Scientiae) - Universidade Federal de Viçosa, Viçosa. 2010.

VIEIRA, L. de S. Recomposição de reserva legal na região do Tapajós: identificação de espécies e sistemas silviculturais. 2014. 112 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Ambientais) – Universidade Federal do Pará, Belém. 2014.

Downloads

Publicado

2016-05-15

Edição

Seção

IX CBA 3. Sistemas de Produção Agroecológica.