Evolução da recuperação de um trecho de mata ciliar do Rio Santa Maria do Rio Doce com potencial uso agroecológico

Autores

  • Rafael Costa Sant'Ana Instituto Federal do Espírito Santo - Campus Santa Teresa http://orcid.org/0000-0001-8734-505X
  • Hediberto Nei Matiello Instituto Federal do Espírito Santo - Campus Santa Teresa
  • João Nacir Colombo Instituto Federal do Espírito Santo - Campus Santa Teresa
  • Marcelo Rodrigo Krause Instituto Federal do Espírito Santo - Campus Santa Teresa
  • Cirlei Perereira Matiello

Resumo

A avaliação da área ocupada com mata ciliar de um trecho do Rio Santa Maria do Rio Doce pertencente ao Instituto Federal de Educação do Espírito Santo- Campus Santa Teresa foi realizada desde a década de 1940. Entre 1966 e 1967 o rio foi retificado, aumentando a profundidade de seu leito e reduzindo em 19,0% o comprimento. Em 1998 iniciou-se o reflorestamento de uma subárea. Até então a área era plenamente utilizada para pastagem. Em 2004 a recuperação foi acelerada devido o isolamento do uso pecuário. As margens esquerda e direita apresentam-se cobertas com vegetação e sem focos de erosão, em que a continuidade e porte de algumas subáreas com arbóreas permitem o uso agroflorestal utilizando espécies de sub-bosque como palmito e cacau. Manejos de nucleação como eleiramento, transposição de serrapilheira e uso de meliponários, integrados ao reflorestamento, podem acelerar a formação da mata ciliar.

Biografia do Autor

Hediberto Nei Matiello, Instituto Federal do Espírito Santo - Campus Santa Teresa

Fitotecnia: Fisiologia Vegetal

Downloads

Publicado

2016-05-17

Edição

Seção

IX CBA 8. Biodiversidade e Bens Comuns.