Aplicação De Mapas Mentais Como Ferramenta De Avaliação Em Atividades Produtivas Para Diferentes Pedoambientes Na Amazônia Ocidental

Autores

  • Maria Antônia da Cruz Félix Universidade Federal do Acre-Campus Floresta
  • Edson Alves de Araújo Universidade Federal do Acre-Campus Floresta
  • Kleber Andolfato de Oliveira Universidade Federal do Acre-Campus Floresta
  • Quétila Souza Barros Universidade Federal do Acre-Campus Floresta
  • Rita de Kássia Costa do Nascimento Universidade Federal do Acre-Campus Floresta

Resumo

Este trabalho teve como objetivo avaliar a aplicação de mapas mentais como ferramenta de avaliação em atividades produtivas na comunidade Florianópolis, Estado do Acre, Amazônia Ocidental. Foram entrevistadas 20 famílias, pedindo a cada uma que mostrasse, em forma de desenhos, as atividades produtivas desenvolvidas em suas áreas. Os principais resultados encontrados indicaram existir uma grande diversidade de cultivos agrícolas na comunidade, a qual é estratificada em ambientes distintos: praias, barrancos, quintais e roçados, onde as culturas mais frequentes são milho, feijão, cana-de-açúcar, maxixe, jerimum, limão, coco e graviola. Além disso, a pesca constitui uma das atividades econômicas mais importantes para os ribeirinhos, seguida da fabricação de carvão artesanal. A aplicação de mapas mentais aproximou entrevistador e entrevistado, pois se criou uma forma de diálogo e escrita entre ambas as partes, além de mostrar a visão do produtor e sua interação com os ambientes estudados

Biografia do Autor

Maria Antônia da Cruz Félix, Universidade Federal do Acre-Campus Floresta

Estudante de engenharia agronômica

Edson Alves de Araújo, Universidade Federal do Acre-Campus Floresta

Possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal do Acre (1988), Graduação de professor 2º grau (Complementação Pedagógica) pela Universidade Federal do Acre (1987), Mestrado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal de Viçosa (2000) e Doutorado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal de Viçosa (2008). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Manejo e Conservação do Solo, atuando principalmente nos seguintes temas: solos do acre, zoneamento, uso da terra, sistemas agroflorestais, recuperação de áreas degradadas e práticas sustentáveis de produção. Prestou Assessoria Técnica a Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Acre (2008-2010). Atuou como técnico da Secretaria de Estado de Agropecuária do Acre (SEAP), por 24 anos. Foi assessor técnico da SEAP e atuou junto ao grupo temático Sistemas Integrados e Áreas Degradadas(SIAD) da Embrapa/Acre como pesquisador visitante. Desde 2013 é professor de Ciência do Solo junto a Universidade Federal do Acre, Campus Floresta, Cruzeiro do Sul.

Kleber Andolfato de Oliveira, Universidade Federal do Acre-Campus Floresta

Professor da Universidade Federal do Acre. Possui Graduação em Agronomia pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná (2008) e Mestrado em Ciências com ênfase em Ecologia Aplicada pela Escola Superior de Agricultura "Luiz de Queiroz" / Universidade de São Paulo e Centro de Energia Nuclear na Agricultura (ESALQ/USP-CENA, 2012). Atualmente é Doutorando pela Universidade Estadual Paulista "Julio de Mesquita Filho" - Faculdade de Ciências Agronômicas (UNESP-FCA). Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Horticultura e Ecologia Aplicada, atuando principalmente nas seguintes disciplinas: Ecologia Vegetal, Agroecologia, Plantas Medicinais na Amazônia, Gestão Ambiental e Educação Ambiental, além de trabalhos com os seguintes temas: ordenamento territorial, multifuncionalidade da agricultura, desenvolvimento rural, arborização, horticultura, etnobotânica, meio ambiente e sustentabilidade.

Quétila Souza Barros, Universidade Federal do Acre-Campus Floresta

Quétila Souza Barros, Mestranda em Ciência, Inovação e Tecnologia para a Amazônia, Graduada em engenharia florestal, pela Universidade Federal do Acre-UFAC, Campus Floresta em 2013 ,Bacharel em Serviço Social, pela Universidade Norte do Paraná- UNOPAR em 2012.Com experiência nas áreas de extensão rural, manejo comunitário e dinâmica de regeneração de florestas nativas

Rita de Kássia Costa do Nascimento, Universidade Federal do Acre-Campus Floresta

Graduanda em Agronomia

Referências

ACRE. Governo do Estado do Acre. Programa Estadual de Zoneamento Ecológico-Econômico do Estado do Acre. Zoneamento Ecológico-Econômico do Acre Fase II: documento Síntese – Escala 1:250.000. Rio Branco: SEMA, 2010.

BATISTA, V. S. et al. Exploração e manejo dos recursos pesqueiros da Amazônia. In: RUFFINO, M. L. (Coord.). A pesca e os recursos pesqueiros na Amazônia brasileira. Manaus: Ibama/PróVárzea, 2004.

GIL, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2002. 176p.

NOGUEIRA, A. R. B. Percepção e representação gráfica: A geograficidade nos Mapas Mentais dos Comandantes de Embarcações no Amazonas. Tese de doutorado. São Paulo: USP, 2001, p.86.

LANI, J. L.; AMARAL, E. F.; ARAÚJO, E. A.; BARDALES, N. G.; SCHAEFER, C. E. G. R.; MENDONÇA, B.A F. Geologia e relevo: alicerces da paisagem Acreana. In: Edson Alves de Araújo; João Luiz Lani. (Org.). Uso sustentável de ecossistemas de pastagens cultivadas na Amazônia Ocidental. Rio Branco: Secretaria Estada de Meio Ambiente, SEMA, 2012, p. 09-37.

MARTINS, W. M.O; PAIVA, W.J; MARTINS, W.J.O; LIMA JUNIOR, S.F. Agrobiodiversidade nos quintais e roçados ribeirinhos na comunidade boca do Môa – Acre. Revista Biotemas, Santa Catarina, v. 25, n. 3, p.111-120, 2012.

NODA, S. N.; NODA, H.; PEREIRA, H. S.; MARTINS, A. L. U. Utilização e apropriação das terras por agricultura familiar amazonense de várzeas. In: DIEGUES, A. C.; MOREIRA, A. C. (Ed.). Espaços e recursos naturais de uso comum. São Paulo: Nupaub, 2001. p. 181-204.

REIS, D.C; MONTEIRO, E.F; PONTES, F.A.R; SILVA,S.S.C. Brincadeiras em uma comunidade ribeirinha amazônica. Revista de Psicologia: teoria e prática, São Paulo, v. 14, n. 3, p. 48-61, 2012.

RICHARDSON, R. J.. Pesquisa social: métodos e técnicas. 3. ed. São Paulo: Atlas, 334 p.

RUAS, E. D. et al. Metodologia participativa de extensão rural para ao desenvolvimento sustentável. Belo Horizonte: MFXPAR, 2006. 134p.

Downloads

Publicado

2016-05-16

Edição

Seção

IX CBA 5. Construção do Conhecimento Agroecológico

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)