Importância do Pó de Rocha para os Sistemas de Produção Agroecológica

Autores

  • Micaela Benigna Pereira Universidade Federal da Paraíba (UFPB) Campi III (Bananeiras-PB), Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias (Agroecologia).
  • Tarciso Botelho Pereira Filho Universidade Federal da Paraíba (UFPB) / Centro de Ciências Humanas, Sociais e Agrárias (CCHSA)
  • Aylson Jackson Araújo Dantas Universidade Federal da Paraíba (UFPB) / Centro de Ciências Humanas, Sociais e Agrárias (CCHSA)
  • Vando Medeiros Universidade Federal da Paraíba. Bacharelando em Agroecologia
  • Fillipe Marini Professor do Curso de Bacharelado em Agroecologia da Universidade Federal da Paraíba.

Resumo

Os solos brasileiros, de forma geral, são ácidos, empobrecidos pela ação do intemperismo, carentes, principalmente, em fósforo e potássio. Para conseguir um bom desempenho no campo, é preciso elevado investimento em fertilizantes e corretivos. Torna-se necessária, então, a importação de grande parte dos fertilizantes ou de suas matérias-primas, já que a produção nacional da maior parte destes produtos é insuficiente. Fontes agrominerais eficientes, mais acessíveis e de menor custo é uma importante forma de aumentar a inclusão social dos pequenos produtores. Entre as práticas ou tecnologias ambientais disponíveis, a técnica da rochagem pode ser considerada como base fundamental para a recuperação dos solos já degradados pelo uso intensivo, pois tem como principal finalidade auxiliar os agricultores na reconstrução da fertilidade, restituindo ao solo os constituintes minerais já lixiviados, de forma que possam obter uma produção de alimentos de melhor qualidade, a custos mais baixos. A prática da rochagem ainda permanece sem um conjunto de normas de regulação, que envolve, necessariamente, o desenvolvimento de produtos e de uma cadeia produtiva (mineradores e agricultores). Dessa forma, o presente trabalho objetivou discutir a importância do pó de rocha para os sistemas de produção agroecológica, abrangendo o uso, as limitações e as suas perspectivas no cenário brasileiro. Para reverter tais cenários que ameaçam o meio ambiente e o sistema social em que a agricultura está implantada, o uso de pó de rocha se torna um rumo a partir da adoção de tecnologias baseadas em princípios sustentáveis agroecológicos, pois além de alcançar melhoria da produtividade por meio da realização da fertilidade do solo de longo prazo, não polui o ambiente, evita contaminações à saúde humana e dos animais e torna a agricultura familiar agroecológica autônoma.

Biografia do Autor

Micaela Benigna Pereira, Universidade Federal da Paraíba (UFPB) Campi III (Bananeiras-PB), Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias (Agroecologia).

Tecnóloga em Agroecologia pelo Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia da Paraíba, Campi Sousa-PB. Mestranda no Programa de Pós-Graduação em Ciências Agrárias (Agroecologia) pela Universidade Federal da Paraíba, Campi III (Bananeiras-PB).

Referências

ALTIERI, M.A. Traditional agriculture. In: ALTIERI, M.A. (ed.). Agroecology: the science of sustainable agriculture. 2nd ed. Boulder Cole: Wesview Press, p.107-144,1995.

BRASIL. Congresso. Câmara dos Deputados. Decreto nº 4.954/2004, de 14 de janeiro de 2004. Inspeção e Fiscalização da Produção e do Comércio de Fertilizantes, Corretivos, Inoculantes, Ou Biofertilizantes, Remineralizadores e Substratos Para Plantas Destinados à Agricultura.

BRASIL. Congresso. Câmara dos Deputados. Lei nº 10.831, de 23 de dezembro de 2003. Agricultura Orgânica e Dá Outras Providências. Brasília.

BRASIL. Congresso. Câmara dos Deputados. Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006. Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – Sisan. Brasília.

Borlaug, N. E. “Approaches to Breeding for Wide Adaptation, Yield Potential, Rust Resistance and Drought Tolerance”, paper presented at Primer SimposioInternacional de Trigo, Cd. Obregon, Mexico, April 7-9, 1997.

IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Censo agropecuário 2006, Rio de Janeiro, p.1-777, 2006.

FYFE, W.S.; LEONARDOS, O.H.; THEODORO, S.H. Sustainable farming with native rocks: the transition without revolution. Anais da Academia Brasileira de Ciências, v. 78, n. 4, 2006.

GLIESSMAN, S.R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre: Editora da Universidade, 2000.

LEONARDOS, O.H.; THEODORO, S.C.H.; ASSAD, M. L. Remineralization for sustainableagriculture: A tropical perspective from a Brasilianviewpoint. NutrientCycling in Agroecosystms - Formerly Fertilizer Research.Nº 56, 2000.

MEERT, L. et al. Produtividade e rentabilidade da soja cultivada com fontes alternativas de nutrientes em Guarapuava, PR. Revista Brasileira de Agroecologia, Porto Alegre, v. 4, n. 2, p. 3371-3374, 2009.

MELAMED, R.; GASPAR, J. C.; MIEKELEY, N.; Pó de rocha como fertilizante alternativo para sistemas de produção sustentáveis em solos tropicais. Série estudos e documentos. Brasília: CETEM/MCT, 2007.

THEODORO, S.C.H.; LEONARDOS, O.H. Sustainable farming with native rocks: the transition without revolution. Anais da Academia Brasileira de Ciências. Rio de Janeiro/RJ. V.78 n. 4 p.: 715 – 720, 2006.

Downloads

Publicado

2016-05-15

Edição

Seção

IX CBA 3. Sistemas de Produção Agroecológica.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)