Desafios e motivações da transição agroecológica do cultivo de tabaco: a experiência do Cepagro em Santa Catarina

Autores

  • Ana Carolina de Oliveira Dionísio Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Santa Catarina (PPGH-UFSC) Centro de Estudos e Promoção da Agricultura de Grupo (Cepagro)
  • Marina Ferreira Campos Pinto Cepagro
  • Gisa Garcia Cepagro
  • Fernanda Maschietto Escola Superior de Agronomia de Montpellier
  • Charles Onassis Peres Lamb Cepagro

Resumo

Envolvendo 47 mil famílias de agricultores só em Santa Catarina, a produção de tabaco apresenta-se como uma atividade extremamente desgastante para trabalhadores e trabalhadoras e negativamente impactante no meio ambiente. Neste trabalho apresentaremos algumas das motivações dos agricultores que desejam empreender a diversificação produtiva como alternativa à fumicultura e os desafios que eles reconhecem nesta trajetória. O ponto de partida serão os dados levantados junto a famílias de fumicultores dos municípios catarinenses de Nova Trento e Major Gercino que participam de um projeto de diversificação agroecológica na fumicultura que a ONG Cepagro, de Florianópolis, desenvolve na região desde julho de 2014. Os cuidados com a saúde e a diminuição da dependência em relação às fumageiras despontam como principais motivações, enquanto a falta de assistência técnica para produção orgânica e a dificuldade de acessar mercados são citados como desafios frequentes.

Biografia do Autor

Ana Carolina de Oliveira Dionísio, Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Santa Catarina (PPGH-UFSC) Centro de Estudos e Promoção da Agricultura de Grupo (Cepagro)

Ana Carolina Dionísio é jornalista e historiadora. Atualmente cursa o Mestrado em História na Universidade Federal de Santa Catarina, pesquisando a produção de tabaco em três municípios do Alto Vale do Rio Tijucas (SC). Integra a equipe de comunicação do Cepagro (www.cepagro.org.br), vinculada ao projeto de diversificação produtiva na fumicultura desenvolvido pela entidade.

Marina Ferreira Campos Pinto, Cepagro

Marina Pinto é bióloga e Mestre em Recursos Genéticos e Vegetais (UFSC). Atualmente integra a equipe técnica do projeto de diversificação produtiva na fumicultura do Cepagro.

Gisa Garcia, Cepagro

Gisa Garcia é engenheira agrônoma (UFSC). Atualmente integra a equipe técnica do projeto de diversificação produtiva na fumicultura do Cepagro.

Charles Onassis Peres Lamb, Cepagro

Charles Lambé técnico agrícola e coordenador geral do Cepagro. Atualmente coordena a equipe técnica do projeto de diversificação produtiva na fumicultura do Cepagro.

Referências

BONATO, Amadeu; ZOTTI, Cleimary; ANGELIS, Thiago. Tabaco. Da Produção ao Consumo: Uma cadeia de dependência. Curitiba: DESER, ACT-BR, 2010.

CEPAGRO. Diversificação Produtiva: alternativas ao cultivo de tabaco. Florianópolis: Cepagro, 2013.

MASCHIETTO, Fernanda. Diversificação Produtiva da Fumicultura no Alto Vale do Rio Tijucas: Opiniões e Expectativas de Fumicultores e Ex-Fumicultores. Relatório de Estágio do Master Agronomie et Agroalimentaire da Escola Superior de Agronomia de Montpellier. Florianópolis: Cepagro, SupAgro Montepellier, 2014.

PINTO, Marina Ferreira Campos. Caminhos da agrobiodiversidade: redes de troca de sementes em sistemas agroecológicos na Serra Catarinense, Alto Vale do Rio Tijucas, Santa Catarina. Dissertação (Mestrado). Programa de Pós-Graduação em Recursos Genéticos Vegetais, Centro de Ciências Agrárias, Universidade Federal de Santa Catarina. Florianópolis, 2014.

Downloads

Publicado

2016-05-18

Edição

Seção

IX CBA-Agroecologia / Relatos de Experiências

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)