Carijo: o resgate do conhecimento da fabricação artesanal de erva-mate pelas vivências de extensão

Autores

  • Tiago Zilles Fedrizzi Universidade Federal do Rio Grande do Sul
  • Lucas Da Rocha Ferreira Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Resumo

De origem indígena, mais especificamente guarani, o carijo foi um aperfeiçoamento na fabricação da erva-mate (Ilex paraguariensis A. St.-Hil.). O conhecimento do carijo foi passado então dos guaranis para os diversos grupos sociais e etnias na região sul do Brasil que passaram a produzir e fazer o seu consumo pela infusão das folhas. O desenvolvimento do conhecimento proporcionou uma diversidade de saberes multiétnicos desenvolvidos e aplicados por jesuítas, quilombolas, indígenas e camponeses, cada qual junto às condições encontradas na região mantendo, contudo, a raiz da produção artesanal. Este trabalho versa sobre as diferentes vivências que propuseram o acompanhamento das etapas da fabricação artesanal da erva-mate.

Biografia do Autor

Tiago Zilles Fedrizzi, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Estudante de gradução do Curso de Agronomia

Lucas Da Rocha Ferreira, Universidade Federal do Rio Grande do Sul

Estudante de Pós-Graduação em Desenvolvimento Rural

Referências

LUZ, M. Carijos e barbaquás no Rio Grande do Sul: resistência camponesa e conservação ambiental no âmbito da fabricação artesanal da erva-mate. 2011. 223 f. Faculdade de Ciências Econômicas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

Downloads

Publicado

2016-05-18

Edição

Seção

IX CBA-Agroecologia / Relatos de Experiências