“O quilombo não morreu”: resistências, modos de vida e produção familiar na comunidade quilombola Santo Antônio, Concórdia do Pará

Autores

  • Gilvando Souza Silveira UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ
  • Flavio Bezerra Barros Universidade Federal do Pará/ Docente
  • Bruno Rodrigo Carvalho Domingues Universidade Federal do Pará

Resumo

O presente trabalho nasce a partir do projeto de extensão “O quilombo não morreu: educação, memória e segurança alimentar na comunidade quilombola Santo Antônio (Concórdia do Pará)”, projeto este que está sendo desenvolvido num território paraense, que no passado foi palco de lutas e resistências; hoje, não tem sido diferente, ou seja, permanece sendo um espaço de resistência dos povos quilombolas nas mais diferentes frentes, desde a educação até a saúde. O presente artigo tem como objetivo voltar-se ao processo de conhecimento da cultura que marcou a comunidade quilombola e, sobretudo, procurar identificar pontos que revelaram as potencialidades ou dificuldades para o desenvolvimento local. Procuramos também fazer levantamentos dos saberes e fazeres locais relacionados, historicamente, aos meios de produção familiar (extrativismos, pesca, agricultura, pecuária), tendo como protagonista os maiores conhecedores da história do lugar.

Biografia do Autor

Gilvando Souza Silveira, UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARÁ

Graduando em Licenciatura e Bacharelado em Geografia / Faculdade de Geografia e Cartografia- UFPA / Grupo de Estudos Interdisciplinares sobre Biodiversidade, Sociedade e Educação na Amazônia - BIOSE (NCADR/UFPA).

Flavio Bezerra Barros, Universidade Federal do Pará/ Docente

Docente dos Programas de Pós-Graduação em Agriculturas Amazônicas – PPGAA e em Antropologia – PPGA da Universidade Federal do Pará – UFPA

Bruno Rodrigo Carvalho Domingues, Universidade Federal do Pará

Estudante de Economia/Bolsista de Iniciação Científica do NCADR/UFPA

Referências

ALMEIDA, Alfredo Wagner Berno de. Os quilombos e as novas etnias. In: Quilombos – Identidade étnica e territorialidade. Eliane Cantarino O’Dwyer ( Org.). Rio de Janeiro: Editora FGV e ABA, 2002.

MALINOWSKI, Bronislaw. Os Pensadores: Bronislaw Malinowski - Argonautas do Pacífico Ocidental. São Paulo: Abril Cultural, 1978.

MARCONI, Marina de Andrade; LAKATOS, Eva Maria. Técnicas de pesquisa: planejamento e execução de pesquisas; amostragens e técnicas de pesquisa; elaboração e análise de dados. 3ª edição. São Paulo: Editora Atlas, 1996.

TERRA, E. M.; DORSA, A. C. As comunidades tradicionais, história, tradições, memória e perspectivas de desenvolvimento sustentável. In: SEMINÁRIO DOS POVOS INDÍGENAS E SUSTENTABILIDADE, 4. 2011, Campo Grande-MS. Anais. Campo Grande-MS: Universidade Católica de Dom Bosco, 2011. Disponível em: <http://www.neppi.org> Acesso em: 20 de abril de 2015.

SILVA, Carlos Alberto Franco da. Fronteira agrícola capitalista e ordenamento territorial. In: SANTOS, Milton; BECKER, Bertha K. (Orgs.). Território, territórios: ensaios sobre ordenamento do território. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A. 2006. p. 283- 312.

SANTOS, Milton. A natureza do espaço: técnica e tempo, razão e emoção. São Paulo: Edusp, 2002.

Downloads

Publicado

2016-05-15

Edição

Seção

IX CBA 1. Sócio biodiversidade e Território.