A ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES E FEIRANTES DE ALTAMIRA (APEFA) SUA TRAJETÓRIA TRUNFOS E LIMITAÇÕES

Autores

  • Maryelle Barros da Silva Universidade Federal do Pará.
  • Alex Guimarães Sanches Universidade Federal do Pará
  • Elaine Gleice Silva Moreira Universidade Federal do Pará
  • Jaqueline Macedo Costa Universidade Federal do Pará
  • Shirley Silva Cosme Universidade Federal do Pará

Resumo

A constituição de associações vem se mostrando uma solução viável para responder as diversas necessidades humanas, tendo em vista que os resultados obtidos a partir da união dos esforços isolados dificilmente seriam alcançados individualmente. O presente trabalho tem por objetivo analisar a formação e atuação de uma associação de produtores e feirantes do município de Altamira-PA evidenciando sua formação e atuação frente aos trunfos e as limitações enfrentadas por esta ao longo do tempo. Concluiu-se que a forma de gestão perante os associados contribui para o fortalecimento da cadeia produtiva, pois a ajuda mútua entre os cooperados, a falta de instrução, estradas, e de reuniões mais rotineiras foi apontada como as principais dificuldades existentes nesse elo associação-associado.

Referências

COLLA, C.; STADUTO, J.A.R.; ROCHA JR.W.; RINALD, R.N. A escolha da feira-livre como canal de distribuição para produtos da agricultura familiar de Cascavel-PR. In: 45º CONGRESSO DE SOCIOLOGIA, ADMINISTRAÇÃO E ECONOMIA RURAL, 2007, Londrina. Conhecimento para a agricultura do futuro. Londrina: SOBER, 2007, v.1, p. 1-1.

RIGO, A.S.; ALMEIDA, A.C.A.de. Autogestão: estado ou processo? (re) refletindo as experiências no vale do São Francisco. APGS, Viçosa, v1. n.3, pp. 76-96, jul./set. 2009.

RIOS, L. O. Cooperativas brasileiras: manual de sobrevivência & crescimento sustentável. São Paulo: Editora. STS, 1998. 109p.

ROSALEM, V.; SILVA, E.A.; SILVA, F.F da. ALCÂNTARA, V.C. Gestão de Cooperativas: Um estudo sob o olhar do cooperado. APGS, Viçosa, vl. n.1. pp. 46-66.jan/mar 2009.

Downloads

Publicado

2016-05-15

Edição

Seção

IX CBA 2. Estratégias de Desenvolvimento Socioeconômico.