Intoxicação aguda por agrotóxicos nos estados do Brasil, 2006 a 2010

Autores

  • Stephanie Sommerfeld de Lara UNEMAT
  • Aline de Fatima Ferreira Matos UNEMAT
  • Sandra Mara Alves da Silva Neves UNEMAT
  • Ronaldo José Neves UNEMAT
  • Maurício Ferreira Mendes UFG

Palavras-chave:

Pesticidas, Incidência, Saúde Ocupacional.

Resumo

O Brasil tornou-se o maior consumidor de produtos agrotóxicos no mundo. A exposição humana a estas substâncias pode levar a danos irreversíveis no organismo e até mesmo ao óbito, sendo considerado um grave problema de saúde pública. O objetivo deste estudo foi investigar a exposição química e a incidência de intoxicação aguda por agrotóxicos nas Unidades Federadas do Brasil, nos anos de 2006 a 2010. Foi utilizado dados do SINAN sobre intoxicação e dados do IBGE sobre gastos com agrotóxicos. Formulou-se o Coeficiente Médio de Intoxicação por agrotóxico, que constatou os estados do Paraná, Santa Catarina e Tocantins com as maiores incidências de intoxicação por agrotóxico, variando de 5 a 11 casos por 100 mil habitantes. Os estados com as maiores exposições químicas, ou seja, os maiores gastos com produtos agrotóxicos foram Mato Grosso e São Paulo. Concluiu-se que é elevada a possibilidade de subnotificação de intoxicação por agrotóxicos em Mato Grosso, demandando que os profissionais de saúde sejam capacitados para notificar e intervir diante estes casos.

Biografia do Autor

Stephanie Sommerfeld de Lara, UNEMAT

Acadêmica do curso de bacharelado em enfermagem da Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT.

Aline de Fatima Ferreira Matos, UNEMAT

Acadêmica do curso de bacharelado em enfermagem da Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT.

Sandra Mara Alves da Silva Neves, UNEMAT

Docente do curso de geografia e da Pós-graduação da Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT.

Ronaldo José Neves, UNEMAT

Docente do curso de geografia e da Pós-graduação da Universidade do Estado de Mato Grosso - UNEMAT.

Maurício Ferreira Mendes, UFG

Acadêmico da Pós-graduação da Universidade Federal de Goiás - UFG.

Referências

BRASIL. Sistema de Informação de Agravos de Notificação - SINAN. Tabulação de dados. Intoxicação por agrotóxico e exógena. Disponível em: <http://dtr2004.saude.gov.br/sinanweb/>. Acesso em: 20 mar. 2015.

CASTRO, J. S. M.; CONFALONIERI, U. Uso de agrotóxicos no Município de Cachoeiras de Macacu (RJ). Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 10, n. 2, p. 473- 482, 2005.

CURVO, H. R. M.; PIGNATI, W. A.; PIGNATTI, M. G. Morbimortalidade por câncer infanto juvenil associada ao uso agrícola de agrotóxicos no Estado de Mato Grosso, Brasil. Cad. saúde colet., Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, p. 10-7, 2013.

FARIA, N. M. X.; FASSA, A. G.; FACCHINI, L. A. Intoxicação por agrotóxicos no Brasil: os sistemas oficiais de informação e desafios para realização de estudos epidemiológicos. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 12, n. 1, p. 25-38, 2007.

FÁVERO, K. A. S. Pulverizações de agrotóxicos nas lavouras de Lucas do Rio Verde e os agravos respiratórios em crianças menores de 5 anos no período de 2004 a 2009. 2011. 77 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2011.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Censo Agropecuário 2006. Disponível em:<http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/economia/agropecuaria/censoagro/brasil_2006/Brasil_censoagro2006.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2015b.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. SIDRA. Censo 2010. Disponível em: <http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/listabl.asp?c=1378&z=cd&o=7>. Acesso em: 05 mar. 2015a.

MALASPINA, F. G.; ZINILISE, M. L.; BUENO, P. C. Perfil epidemiológico das intoxicações por agrotóxicos no Brasil, no período de 1995 a 2010. Cad. Saúde Colet., Rio de Janeiro, v. 19, n. 4, p. 425-34, 2011.

MOREIRA J. C.; PERES, F.; PIGNATI, W. A.; DORES, E. F. G. C. Avaliação do risco à saúde humana decorrente do uso de agrotóxicos na agricultura e pecuária na região Centro oeste. Relatório de pesquisa. Brasília; 2010.

PALMA, D. C. A. Agrotóxicos em leite humano de mães residentes em Lucas do Rio Verde-MT. 2011. 103 f. Dissertação (Mestrado em Saúde Coletiva) - Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2011.

PERES, F.; MOREIRA, J. C., DUBOIS, G. S. É veneno ou é remédio? Agrotóxicos, saúde e ambiente. Rio de Janeiro: Editora Fiocruz; 2003. 384 p.

PIGNATI, W. A.; MACHADO, J. M. H.; CABRAL, J. F. Acidente rural ampliado: o caso das "chuvas" de agrotóxicos sobre a cidade de Lucas do Rio Verde - MT. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 12, n. 1, p. 105-114, 2007.

REBELO, F. M.; CALDAS, E. D.; HELIODORO, V. O.; REBELO, R. M. Intoxicação por agrotóxicos no Distrito Federal, Brasil, de 2004 a 2007- análise da notificação ao Centro de Informação e Assistência Toxicológica. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 16, n. 8, p. 3493-3502, 2011.

SOARES, W. L.; PORTO, M. F. S. Uso de agrotóxicos e impactos econômicos sobre a saúde. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 46, n. 2, p. 209-217, 2012.

Downloads

Publicado

2016-05-16

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 > >>