Composição florística da flora meliponícola da área de entorno do Meliponário Experimental do Câmpus Petrolina Zona Rural, IF Sertão-PE

Autores

  • Silver Jonas Alves Farfan Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano - IF SERTÃO-PE. Câmpus Petrolina Zona Rural http://orcid.org/0000-0002-3942-8317
  • Rosineide Gonçalves Parente Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano - IF SERTÃO-PE. Câmpus Petrolina Zona Rural
  • Flávia Cartaxo Ramalho Villar Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano - IF SERTÃO-PE. Câmpus Petrolina Zona Rural
  • Maria Ingrity Pereira Lima Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano - IF SERTÃO-PE. Câmpus Petrolina Zona Rural
  • Ruama Patricia Barbosa de Sena Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano - IF SERTÃO-PE. Câmpus Petrolina Zona Rural

Resumo

A criação racional de abelhas indígenas sem ferrão é considerada atualmente uma atividade adequada ao desenvolvimento sustentável, já que oferece uma renda complementar aos criadores, com grande potencial para meliponicultura. A identificação das plantas visitadas pelas abelhas é de grande relevância para o desenvolvimento da atividade meliponícola, pois indica as fontes de alimento adequadas para a coleta dos recursos tróficos, principalmente em área de vegetação natural. O objetivo desse estudo foi conhecer as espécies vegetais com potencial para meliponicultura. Para tanto foi realizado um levantamento florístico, onde foram coletadas 121 amostras, registrando 25 famílias, 51 gêneros e 72 espécies de plantas. As famílias mais ricas em espécies foram a Fabaceae com 28%, em seguida Asteracea com 18% e Malvaceae com 14%. Com esses resultados foi possível conhecer as espécies vegetais de interesse meliponícola, contribuindo para o fortalecimento da meliponicultura na região semiárida.

Biografia do Autor

Silver Jonas Alves Farfan, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano - IF SERTÃO-PE. Câmpus Petrolina Zona Rural

Brasiliense, possui graduação em Engenharia Agronômica pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (1997), mestre em agronomia, área de concentração horticultura irrigada pela Universidade do Estado da Bahia - UNEB em Juazeiro - BA (2008). Atua há 18 anos com comunidades de agricultores familiares tradicionais no semiárido com os temas agroecologia e segurança alimentar. Foi professor no curso de agronomia na UNEB em Juazeiro-BA e atualmente é professor D.E. no IF SERTÃO-PE no curso de Agronomia e Técnico em Agropecuária. Tem experiência com agricultura familiar rural e urbana, assentamentos da reforma agrária e comunidades indígenas, assessorando governos e sociedade civil organizada na elaboração e execução de diagnósticos e projetos de desenvolvimento comunitário e territorial. Desenvolve pesquisas com horticultura, meliponicultura e fundos de pasto.

Rosineide Gonçalves Parente, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano - IF SERTÃO-PE. Câmpus Petrolina Zona Rural

Possui graduação em tecnólogo em Fruticultura irrigada pelo Instituto Federal do Sertão Pernambucano - IF SERTÃO-PE (2009),Tem experiência na área de Agricultura com enfase em Fruticultura Irrigada. Cursando Bacharelado em Agronomia.

Flávia Cartaxo Ramalho Villar, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano - IF SERTÃO-PE. Câmpus Petrolina Zona Rural

Possui graduação em Agronomia pela Universidade Federal da Paraíba (1989), mestrado em Botânica pela Universidade Federal Rural de Pernambuco (1994) e doutorado em Agronomia - UFPB-Centro de Ciências Agrárias (2006). Atualmente é professora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano, Campus Petrolina Zona Rural. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Ecologia e Taxonomia Vegetal, atuando principalmente nos seguintes temas: sistemática, taxonomia, citogenética e invasão biológica.

Maria Ingrity Pereira Lima, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano - IF SERTÃO-PE. Câmpus Petrolina Zona Rural

Possui ensino médio segundo-grau pelo Centro Territorial de Educação Profissional Do Sertão Do São Francisco (2011), cursando Engenharia Agronômica no IF Sertão-PE, Câmpus Petrolina Zona Rural. Bolsista no CVT Agroecologia.

Ruama Patricia Barbosa de Sena, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano - IF SERTÃO-PE. Câmpus Petrolina Zona Rural

Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Agroecologia, atua como Bolsista na área de Ensino, pesquisa e extensão, no Centro Vocacional Tecnológico em Agroecologia (2013/2014) com ações ambientalistas de recuperação da caatinga, compostagem, Horta Orgânica, Meliponicultura, Minhocário, Banco de Sementes de Adubação Verde e sementes nativas da Caatinga, assim como na difusão de tecnologias Agroecológicas considerando desde a produção orgânica com os princípios agroecológicos.

Referências

MAIA-SILVA, C.; SILVA, C. I.; HRNCIR M.; QUEIROZ, R. T. de; IMPERATRIZ-FONSECA, V. L. Guia de Plantas Visitadas por Abelhas. 1ª ed. Fortaleza: Editora Fundação, 2012. 191 p.

NOGUEIRA-NETO, P. A criação de abelhas indígenas sem ferrão (Meliponinae) São Paulo: Chácaras e Quintais, 280 p., 1953.

OLIVEIRA, F.P.M.; ABSY, M.L.; MIRANDA I.S. Recurso polínico coletado por abelhas sem ferrão (Apidae, Meliponinae) em um fragmento de floresta na região de

Manaus, Amazonas. Acta Amazonica, Manaus, v. 39, n. 3, p. 505-518, mar. 2009.

SILVA, R. A. da. Caracterização da flora apícola e do mel produzido por Apis mellifera L., 1758 (Hymenoptera, Apidae) no estado da Paraíba. Tese (doutorado) UFPB, Areia, PB. Outubro, 2006.

Downloads

Publicado

2016-05-17

Edição

Seção

IX CBA 8. Biodiversidade e Bens Comuns.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)