USO DE PLANTAS CONDIMENTARES E AROMÁTICAS POR AGRICULTORES DA REGIÃO DO ALTO VALE DO RIO DO PEIXE- SC

Autores

  • Debora Ceretta Jung UDESC - Lages

Resumo

A culinária tradicional tem particular característica pela adição de condimentos e plantas aromáticas próprias. A crescente pressão por produtos industrializados lançados no mercado vem substituindo os condimentos naturais até mesmo nas áreas rurais. Este trabalho tem por objetivo estudar hábitos culinários que envolva plantas condimentares e aromáticas por agricultores do Alto Vale do Rio do Peixe, Santa Catarina. O estudo foi realizado por entrevistas com questionários semiestruturado. Moradores da região do Alto Vale do Rio do Peixe/SC apresentam evidências de baixo uso e cultivo de plantas condimentares naturais no preparo dos alimentos. Destacam-se, como resposta mais frequente, a facilidade de adquirir compostos saborizadores industrializados e o desinteresse das gerações mais jovens em aprender a cultivar e utilizar as plantas condimentares a aromáticas.

Biografia do Autor

Debora Ceretta Jung, UDESC - Lages

Biologa

Referências

CARVALHO, Edilaine Oliveira;ROCHA, Emerson Ferreira ; Consumo alimentar de população adulta residente em área rural da cidade de Ibatiba (ES, Brasil).Ciência e Saúde Coletiva. 16(1):179-189,2011.

CASTELLI, Pierina German; WILKINSON,John. Conhecimento Tradicional, Inovação e direitos de proteção. Estudos Sociedade e Agricultura: 89-112, 2002.

GANDOLFO, Elisa Serena; HANAZAKI, Natalia. Etnobotânica e urbanização: Conhecimento e utilização de plantas de restinga pela comunidade nativa do distrito do Campeche (Florianópolis, SC). Acta Botanica Brasilica 25(1): 168-177, 2011.

MIURA, Adalberto Koiti...(et al.). Estudo Etnobotânico Junto aos Erbatários da Área Central de Pelotas - RS/ Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 57p. (Embrapa Clima Temperado. Documentos, 205), 2007.

OLIVEIRA, F. C.; ALBUQUERQUE, U. P.; FONSECA-KRUEL, V. S.; HANAZAKI, N. Avanços nas pesquisas etnobotânicas no Brasil. Acta Botanica Brasilica, São Paulo, v.23, n. 2, p.590-605, 2009.

Downloads

Publicado

2016-05-16