Percepções dos feirantes sobre a agroecologia nas feiras livres dos municípios de Alcobaça, Itamaraju e Prado, no Extremo Sul da Bahia

Autores

  • Maria Clara Novais Bernardes Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo
  • Ana Paula Capello Rezende
  • João Dagoberto dos Santos
  • Marcos Sorrentino
  • João Portella Sobral

Resumo

O estudo das feiras livres visa valorizar e garantir a produção agroecológica nos pré-assentamentos do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) vinculados ao Projeto Assentamentos Agroecológicos. Questionários semi-abertos foram aplicados junto a 135 feirantes nos municípios de Alcobaça, Itamaraju e Prado. As questões identificaram o perfil dos feirantes, os produtos agrícolas comercializados e a percepção sobre a agroecologia. O diagnóstico aponta que a maioria dos feirantes são produtores da região, no entanto há a presença de intermediários que comercializam produtos vindos de outras regiões do estado e do país. Foi identificada oferta e procura por produtos agroecológicos, demonstrando potencial das feiras para escoar a produção dos Assentamentos Agroecológicos.

Biografia do Autor

Maria Clara Novais Bernardes, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Universidade de São Paulo

Graduada em Engenharia Agronômica na Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (2009-2014). Cursou matérias na área de Política, Economia e Sociologia Rural na Universidade Montpellier SupAgro, França, através do Programa de Intercâmbio BRAFITEC (período: agosto 2012 à julho 2013 - Bolsista CAPES). Foi bolsista do Programa de Iniciação Científica da USP na área de Economia Social e Solidária e Sociologia Rural (período:agosto 2013 à julho 2014). Atualmente, é estudante de Licenciatura em Ciências Agrárias na ESALQ/USP (previsão término: julho/2014), cursa Prática Profissionalizante em Educação Ambiental, Florestas e Agroecologia, ministrada pelo Departamento de Ciências Florestais da ESALQ/USP e é estagiária em pesquisa e extensão do Núcleo de Apoio à Cultura e Extensão em Educação e Conservação Ambiental (NACE-ESALQ), atuando na Escola Popular de Agroecologia e Agrofloresta Egídio Brunetto no extremo sul da Bahia.

Referências

BERNARDES, M.C.N. Cooperativas Agrícolas e seu papel em circuitos curtos: a solidariedade alimentar a partir do cruzamento de olhares para casos na França e no Brasil. Monografia (Trabalho de Conclusão de Curso em Engenharia Agronômica). ESALQ/USP. Piracicaba, agosto, 2014. 57p.

IANAMOTO, A.T.V.; TAVARES, C.A.; FREIXÊDAS, V.M. Cartilha Consumir é um ato político!: rede guandu – produção e consumo responsável. Piracicaba: Instituto Terra Mater, 2012.

KHATOUNIAN, C. A. A reconstrução ecológica da agricultura. Botucatu: Agroecológica, 2001.

MARQUES-MORUZZI, P. E. Críticas e justificações em torno da soberania alimentar: fundamentações com vistas a um sistema agroalimentar justo. Revista da Associação Brasileira de Reforma Agrária – ABRAA, nº 35, Vol. 01, nº 01. Edição maio/outubro 2014. iSSN:0102-1184

MARREIROS, J.R.R. Preparar e realizar estudos de mercado: conhecimento e análise de mercado. Instituto Politécnico de Coimbra. Coimbra, abril, 2008.

Ministério do Desenvolvimento Agrário. Alimentos da Agricultura Familiar mostram peculiaridades regionais. Disponível em <http://www.mda.gov.br/portalmda/noticias/alimentos-da-agricultura-familiar-mostram-peculiaridades-regionais>. Acesso em 16 jun 2014.

REZENDE, A. P. C. ESALQ e MST no processo de construção de um Centro de Formação, Educação e Pesquisa em Agroecologia e Sistemas Agroflorestais no extremo sul da Bahia. 2012. 71. Monografia (Relatório de Estágio profissionalizante em Engenharia Florestal) – ESALQ/USP, Piracicaba, 2012.

Downloads

Publicado

2016-05-16

Edição

Seção

IX CBA 5. Construção do Conhecimento Agroecológico

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)