Uso das tecnologias sociais para convivência com a escassez hídrica em comunidades rurais no semiárido paraibano

Autores

  • Sebastiana Joelma de Azevedo Santos INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA - CAMPUS PICUÍ
  • José Wellington de Medeiros Estrela INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA - CAMPUS PICUÍ
  • Aldenice Amélia Dantas Moreira INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA - CAMPUS PICUÍ
  • Cynthia de Lima Campos INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA - CAMPUS PICUÍ
  • José Lucínio de Oliveira Freire NSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA - CAMPUS PICUÍ

Palavras-chave:

Agroecologia, estratégias, convivência, escassez hídrica

Resumo

O objetivo deste trabalho foi apresentar estratégias infraestruturais e agroecológicas de convivência produtiva nos anos de escassez hídrica em propriedades rurais do município de Picuí-Pb. As avaliações ocorreram entre outubro e dezembro de 2014, nas comunidades Massapê, Cauaçu e Passagem. Um roteiro foi elaborado visando obter informações dos agricultores sobre práticas agroecológicas e funcionamento de tecnologias sociais de captação e armazenamento de água e manejo de sistema produtivo de hortaliças, frutíferas e criação animal. Os dados foram analisados de forma comparativa e descritiva. Foram encontradas algumas tecnologias, como cisternas de placas, calçadão, enxurrada, barreiro trincheira e quintais produtivos. Em algumas comunidades, as tecnologias de captação e armazenamento de água encontravam-se com pouca água, apenas para conservação do reservatório, um dos principais pontos desta pesquisa é em relação à eficiência das mesmas, ou da gestão do recurso natural.

Biografia do Autor

Sebastiana Joelma de Azevedo Santos, INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA - CAMPUS PICUÍ

Graduanda do Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia

José Wellington de Medeiros Estrela, INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA - CAMPUS PICUÍ

Graduando do Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia

Aldenice Amélia Dantas Moreira, INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA - CAMPUS PICUÍ

Pós-graduanda em Gestão dos Recursos Ambientais do Semiárido

Cynthia de Lima Campos, INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA - CAMPUS PICUÍ

Professora Doutora do Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia

José Lucínio de Oliveira Freire, NSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA - CAMPUS PICUÍ

Professor Doutor do Curso Superior de Tecnologia em Agroecologia

Referências

AGÊNCIA EXECUTIVA DE GESTÃO DAS ÁGUAS DO ESTADO DA PARÍBA. Monitoramento pluviométrico. AESA, 2015.

CIRILO, J. A.; MONTENEGRO, S. M. G. L.; CAMPOS, J. N. B. A questão da água no Semiárido brasileiro. 2008, 13p.

ARTICULAÇÃO DO SEMIÁRIDO BRASILEIRO (ASA). Declaração sobre o atual momento da seca no Semi-Árido. ASA: 2012-a.

ARTICULAÇÃO DO SEMIÁRIDO BRASILEIRO (ASA). Cisterna Calçadão. In: Tecnologias Sociais para Convivência com o Semiárido – Série Estocagem de Água para Produção de Alimentos. ASA: 2012-b.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo 2012.

BRASIL. Ministério da Agricultura. Levantamento exploratório – reconhecimento de solos do Estado da Paraíba. Rio de Janeiro: MA/COMTA/USAID/SUDENE, Boletim Técnico, 15, 1972, 670 p.

MALVEZZI, R. Semi-árido: uma visão holística. Brasília: Confea, 2007, 140p.

GAMA, K. V. M. F.; SOARES, R. F.; COSTA, C. C.; ARAÚJO, E. A. Diagnóstico do sistema produtivo de hortaliças na Comunidade Várzea Comprida dos Oliveiras, Pombal – PB. In: IV ENCONTRO DE EXTENSÃO DA UFCG E IV MOSTRA UNIVERSITÁRIA DE CIÊNCIA, CULTURA E ARTE. Resumos... Campina Grande: UFCG, 2007.

Downloads

Publicado

2016-05-17

Edição

Seção

IX CBA 8. Biodiversidade e Bens Comuns.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)