O fortalecimento da unidade familiar através do trabalho da mulher na gestão, segurança alimentar e saúde a partir da agroecologia no Assentamento Filhos de Sepé, Viamão/RS.

Autores

  • Cristina Araújo COPTEC
  • Neila Salete Moraes COPTEC
  • Isabel Cristina Monjelo MST
  • Seleni Fatima de Lima MST
  • Antonio Marcos dos Santos Vignolo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária/Universidade Federal de Santa Maria
  • Sarita D'Ávila dos Santos FAPEU/UFSC

Resumo

Com a dificuldade de sustentar a família que se iniciou na formação do assentamento e num contexto no qual, os homens na maioria das vezes, eram responsáveis pela produção e geração de renda. Observou-se a necessidade de organização de um grupo de mulheres que fosse capaz de auxiliar a família no sentido da sua segurança alimentar e na viabilização econômica do lote com uma produção de base ecológica, trazendo um despertar da visão da mulher como parte da unidade familiar geradora de renda, elevando a autoestima de cada uma constitui-se em 2000 o grupo Ação Coletiva Mulheres da Terra, se constituindo como parte fundamental do desenvolvimento familiar nas suas dimensões social, cultural, política, produtiva e ambiental. Este grupo se organiza através de atividades de formação, troca de conhecimentos, organização da produção e comercialização e elaboração de projetos, buscando uma relação harmônica entre a reprodução de um grupo social e a preservação do meio ambiente.

Biografia do Autor

Cristina Araújo, COPTEC

Nutricionista

Neila Salete Moraes, COPTEC

Técnica em Comunicações

Isabel Cristina Monjelo, MST

agricultora

Seleni Fatima de Lima, MST

agricultora

Antonio Marcos dos Santos Vignolo, Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária/Universidade Federal de Santa Maria

Assessor Técnico Pedagógico do Programa Estadual de Assistência Técnica, Social e Ambiental do RS.

Sarita D'Ávila dos Santos, FAPEU/UFSC

Química de Alimentos

Referências

DEERE, C. D., LEON, M. 2002.O Empoderamento da Mulher: direitos à terra e direitos da propriedade na América Latina. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 501p.

Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra – MST. 1995.Programa de Reforma Agrária. São Paulo: julho, nº 23. (Cadernos de Formação), 28p.

OLIVEIRA, N.2005. Grupo Mulheres da Terra: abordagem fundamentada no ecofeminismo e na alfabetização ecológica. Revista Mulher e Trabalho/FEE; FGTS/SINE-RS; DIESE; SEADE-SP; FAT- v.5 (mar. 2005) – Porto Alegre: CORAG.

OLIVEIRA, N. 2007. Ação coletiva das mulheres da terra: ecologia nas dimensões pessoal, cultural e ambiental. Porto Alegre.

Downloads

Publicado

2016-05-18

Edição

Seção

IX CBA-Agroecologia / Relatos de Experiências

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)