Experimentação participativa com agave americana var. marginata trel.

Autores

  • Adalgisa de Jesus Pereira Universidade Federal de Viçosa
  • Felipe Carvalho Santana Universidade Federal de Viçosa
  • Franklin de Jesus Pereira Universidade Federal de Viçosa
  • Steliane Pereira Coelho Universidade Federal de Viçosa
  • Irene Maria Cardoso Universidade Federal de Viçosa

Resumo

Agricultores familiares desenvolvem práticas para viabilizar o trabalho diário. Nesta pesquisa a prática do uso de extrato de agave ou piteira foi testada de forma participativa com o objetivo de gerar processos colaborativos na compreensão da prática utilizada por agricultores. O delineamento foi em blocos casualizados com cinco tratamentos e cinco repetições. Os tratamentos foram obtidos por trituração em liquidificador. Foram seguidos os passos metodológicos utilizados pelo agricultor. Os resultados demonstraram que o extrato de agave é efetivo no controle da população de pulgão. A taxa mortalidade dos insetos foi superior em plantas tratadas com o extrato de piteira em relação às plantas tratadas com água. A taxa de mortalidade os insetos foi maior no tratamento de piteira com leite (em torno de 90%), seguida de piteira, água, leite e álcool, aproximadamente 70% e piteira e álcool, aproximadamente 50%.

Biografia do Autor

Adalgisa de Jesus Pereira, Universidade Federal de Viçosa

Estudante do Curso de Doutorado em Fitotecnia

Felipe Carvalho Santana, Universidade Federal de Viçosa

Estudante do Curso de Mestrado em Agroecologia

Franklin de Jesus Pereira, Universidade Federal de Viçosa

Estudante de Graduação do curso de Licenciatura em Educação do Campo

Steliane Pereira Coelho, Universidade Federal de Viçosa

Doutoranda em Fitotecnia

Irene Maria Cardoso, Universidade Federal de Viçosa

Professora da Universidade Federal de Viçosa

Referências

ANDRADE, A.; BELO, J. “FÉ NA TERRA - Documentário sobre a troca de saberes 2011”. TCC. Universidade Federal de Viçosa. Viçosa, 2011 Andrei, E. Compêndio de defensivos agrícolas. 5 ed., São Paulo, 506p, 1996.

CARDOSO, I.M.; FERRARI, E.A. Construindo o conhecimento agroecológico: trajetória de interação entre ONG, universidade e organizações de agricultores. Agriculturas v. 3(4), p. 28-32, 2006.

GERGEN, K. G. Le constructionisme social. Une introduction. Lonay; Paris: Delachaux & Niestlé, 2001. (Original em inglês: Thousand Oaks, Sage, 1999).

ÍÑIGUEZ, L. Construcionismo social. In: MARTINS, J. B. (org.) Temas em Análise Institucional e em Construtivismo Social. São Carlos: Rima; Curitiba: Fundação Araucária, p. 97-156, 2002.

LORENZI, H.; SOUZA, H. M. Plantas Ornamentais no Brasil. 3 ed. Nova Odessa: Instituto Plantarum, 1088p, 2001.

PEREIRA, W. H. Práticas alternativas para a produção agropecuária agroecológica. Emater-MG. 124p. 2011.

SILVA, R. A.; MICHELOTTO, M. D.; JORDÃO, A. L. Levantamento Preliminar de Pulgões no Estado do Amapá. Circular Técnica, Embrapa. Macapá. nov. 11p, 2004.

TINTO, W.F.; SIMMONS BOYCE, J.L.; MCLEAN, S.; REYNOLDS, W.F.; Constituents of Agave americana and Agave barbadensis. Fitoterapia. 76, p. 594–597. 2005.

WEINGÄRTNER, M. A.; SCHIAVON, A. C. F.; PERERA, A. F. Práticas ecológicas. Caldas e Biofertilizantes. Embrapa Clima Temperado. Pelotas, RS. 2006

Downloads

Publicado

2016-05-16

Edição

Seção

IX CBA 5. Construção do Conhecimento Agroecológico

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 6 > >>