Avaliação de espécies madeireiras em sistemas agroflorestais familiares

Autores

  • Nathália Karoline Feitosa dos Santos Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA)
  • Rosana Quaresma Maneschy Universidade Federal do Pará

Resumo

O objetivo deste trabalho foi avaliar o desenvolvimento de espécies madeireiras em sistemas agroflorestais (SAF) que têm sido utilizados na reabilitação áreas de pastagens degradadas em São Domingos do Araguaia, Pará. Foram avaliadas as espécies burdão de velho (Samanea saman), castanheira (Bertholletia excelsa), copaíba (Copaifera sp.), ipê amarelo (Tabebuia serratifolia), ipê branco (T. roseo-alba), ipê roxo (T. cf. impetiginosa), oiti (Moquilea tomentosa), paricá (Schizolobium parahyba var. amazonicum), pata de vaca (Bauhinia longifolia), sapucaia (Lecythis pisonis), sombreiro (Clitorea racemosa), teca (Tectona grandis) e mogno (Swietenia macrophylla). Conclui-se que os SAFs são uma alternativa de uso da terra para a reabilitação de áreas degradadas permitindo a diversificação de produtos. O paricá foi a espécie madeireira que apresentou o melhor desenvolvimento. Palavras-chave: Agricultura familiar; árvores madeireiras; silvicultura.

Biografia do Autor

Nathália Karoline Feitosa dos Santos, Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (UNIFESSPA)

Bolsista de projeto de pesquisa da Universidade Federal do Pará e estudante do curso de Agronomia da UNIFESSPA

Rosana Quaresma Maneschy, Universidade Federal do Pará

Possui graduação em Agronomia pela Faculdade de Ciências Agrárias do Pará (1999), mestrado em Ciência Animal pela Universidade Federal do Pará (2003) e doutorado em Ciências Agrárias, área de concentração em Agroecossistemas da Amazônia, pela Universidade Federal Rural da Amazônia (2008). Atualmente é Professora Adjunto I da Universidade Federal do Pará, Campus Marabá, da disciplina Sistemas extrativistas e agroflorestais. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Sistemas agroflorestais, atuando principalmente nos seguintes temas: amazônia, sistema agroflorestal, sistema silvipastoril, suplementação mineral e conteúdo mineral de forrageiras.

Referências

AMARAL, P.; VERÍSSIMO, A.; BARRETO, P.; VIDAL, E. Floresta para Sempre: um Manual para Produção de Madeira na Amazônia. Belém: Imazon, 1998. 130 p.

COOPERATIVA DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS. Plano de Desenvolvimento Sustentável do Assentamento do Projeto de Assentamento Belo Horizonte –Marabá, PA: Copserviços. Junho/2001.

FELFILI, J. M. Diversity, structure, and dynamics of a gallery forest in central Brazil. Vegetation, v.117, p.1-15, 1995.

SOUZA, M.C. S.; RODRIGUES, F.C.MP. Desenvolvimento de Espécies Arbóreas em Sistemas Agroflorestais para a Recuperação de Áreas Degradadas na Floresta Ombrófila Densa, Paraty, RJ. Revista Árvore, Viçosa-MG, v.37, n.1, p.89-98, 2013.

TONINI, H. et al. Avaliação de espécies florestais em área de mata no estado de Roraima. Cerne, v.12, n.1, p.8-18, 2006.

Downloads

Publicado

2016-05-15

Edição

Seção

IX CBA 3. Sistemas de Produção Agroecológica.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)