Viabilidade agronômica e produtiva do consórcio de beterraba e rúcula

Autores

  • João Paulo Ascari Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Fábio Silva Melo Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)
  • Inês Roeder Nogueira Mendes Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)
  • Esdras Silva Santos Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Willian Marques Duarte Universidade do Estado de Mato Grosso

Resumo

O sistema de consócio apresenta grande importância na produção de alimentos e aproveitamento do espaço. O objetivo deste estudo foi avaliar a produção do consórcio entre a cultura da beterraba e da rúcula e sua viabilidade agronômica. O experimento foi desenvolvido na UNEMAT. O delineamento experimental foi em blocos casualizados com três tratamentos (cultivo da rúcula + beterraba em consórcio; cultivo da rúcula e da beterraba solteiro), com seis repetições. A semeadura da rúcula foi direta no canteiro e a da beterraba foi em bandeja de polietileno. Para beterraba foi avaliado: diâmetro do tubérculo e massa verde; para a rúcula foi avaliado a massa verde da parte aérea. Foi realizada uma avaliação agronômica do uso eficiente da terra (UET). O consórcio da beterraba com a rúcula não apresentou efeito significativo, indicando que a rúcula não interferiu no desenvolvimento da beterraba. Dessa forma o consórcio teve maior viabilidade agronômica no uso eficiente da terra.

Biografia do Autor

João Paulo Ascari, Universidade do Estado de Mato Grosso

Graduando em agronomia. Bolsista PROBIC do laboratório de Fitopatologia da Universidade do Estado de Mato Grosso. Experiencia com experimentos a campo.

Fábio Silva Melo, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)

Graduando em agronomia e Bolsista na área de olericultura.

Inês Roeder Nogueira Mendes, Universidade do Estado de Mato Grosso (UNEMAT)

Graduanda em agronomia, Bolsista PROBIC do Laboratório de Fitopatologia.

Esdras Silva Santos, Universidade do Estado de Mato Grosso

Graduando em Agronomia. Experiencia na área de olericultura.

Willian Marques Duarte, Universidade do Estado de Mato Grosso

Professor mestre em agronomia da Universidade do Estado de Mato Grosso

Referências

CATELAN, F.; NARDIN, R. R.; CECILIO FILHO, A. B. Efeito do consórcio de beterraba e rúcula sobre sua produtividade. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE OLERICULTURA, 41, 2001, Brasília. Anais... Brasília: ABH, 2001. 1 CD-ROM.

CECÍLIO FILHO A. B.; MAY A. Produtividade das culturas de alface e rabanete em função da época de estabelecimento do consórcio. Horticultura Brasileira, Brasília, v. 20, n. 1, p. 501-504, 2002.

DALLACORT, R. et al. Distribuição das chuvas no município de Tangará da Serra, médio norte do Estado de Mato Grosso, Brasil. Acta Scientiarum Agronomy, Maringá, v. 33, n. 2, p. 193-200, 2011.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Sistema brasileiro de classificação de solos. 3. ed. Brasília: Embrapa informação tecnológica, 2013. 353 p.

FERREIRA, D. F. Sisvar: a computer statistical analysis system. Ciência e Agrotecnologia, Lavras, v. 35, n. 6, p. 1039-1042, 2011.

FILGUEIRA, F. A. R. Asteráceas alface e outras hortaliças herbáceas. In: ___. Novo manual de olericultura: agrotecnologia moderna na produção e comercialização de hortaliças. 3° edição. Viçosa: UFV, 2008, p. 300-305.

GRANGEIRO, L. C. et al. Avaliação agroeconômica das culturas da beterraba e coentro em função da época de estabelecimento do consórcio. Revista Ciência Agronômica, Fortaleza, v. 42, n. 1, p. 242-248, 2011.

REZENDE B. L. A. et al. Custo de produção e rentabilidade da alface crespa em ambiente protegido, em cultivo solteiro e consorciado com tomateiro. Informações Econômica, Jaboticabal, v. 35, n. 1, p. 42-50, 2005.

WILLEY, R. W. Intercropping – its importance and research needs. Part. 1- Competition and yield advantage. Field Crops Abstracts, Wallingford, v. 32, n. 2, p. 1-10, 1979.

Downloads

Publicado

2016-05-15

Edição

Seção

IX CBA 3. Sistemas de Produção Agroecológica.