Intercâmbio de Conhecimento para Manejo de Mínimo Impacto de Açaizal Nativo em Aldeias Indígenas na BR-156 no Estado do Amapá (Projeto FRUTIINDO).

Autores

  • José Antonio Leite Queiroz Embrapa Amazônia Oriental

Resumo

O intercâmbio teve como objetivo adaptar de forma interativa tecnologias e conhecimentos em manejo de açaizais nativos aos indígenas das Aldeias Tukay e Ahumã, em parcelas demonstrativas instaladas próximas a BR-156, nas Terras Indígenas de Oiapoque, no Estado do Amapá. No “manejo de mínimo impacto de açaizais nativos” recomenda-se uma densidade de 400 touceiras/ha de açaizeiros e cada touceira com cinco estipes adultos (produzindo frutos), quatro estipes jovens e três perfilhos, com altura máxima de 14 m. Para as demais espécies, 250 plantas por hectare, sendo 60% de finas (CAP≥15≤60 cm), 20% de médias (CAP>60≤140 cm) e 20% de grossas (CAP>140 cm). Além disso, que a distribuição espacial, tanto dos açaizeiros quanto das dicotiledôneas arbóreas, seja a mais uniforme possível, para que a luz solar e a reciclagem dos nutrientes possam beneficiar todas as plantas existentes no açaizal. Os resultados deverão aparecer nos próximos anos com aumento na produção de frutos de açaí e na diversidade florestal do açaizal.

Biografia do Autor

José Antonio Leite Queiroz, Embrapa Amazônia Oriental

Chefia Adjunta de Transferência de Tecnologia-CHTT Setor de Implementação da Programação de Transferência de Tecnologia -SIPT

Downloads

Publicado

2016-05-18

Edição

Seção

IX CBA-Agroecologia / Relatos de Experiências