OCORRÊNCIA DE PLANTAS ESPONTÂNEAS EM CAFÉ SOLTEIRO OU CONSORCIADO COM BRAQUIÁRIA

Autores

  • Germani Concenco
  • Ivo de Sá Motta
  • Thais Stradioto Melo
  • Laryssa Barbosa Xavier Silva
  • Andressa Mariani

Resumo

Objetivou-se caracterizar a comunidade e a diversidade de plantas espontâneas, em sistemas de cultivo de café solteiro ou consorciado com Brachiaria ruziziensis. Foram avaliados o nível de infestação absoluto, a composição da infestação por densidade, frequência, dominância e valor de importância, e os coeficientes de diversidade de Simpson e Shannon‑Weiner, e o coeficiente de sustentabilidade de Shannon para todos os tratamentos. Brachiaria ruziziensis foi relevante para a menor incidência de plantas espontâneas; caruru, Physalis, beldroega e poaia‑branca predominaram no cafeeiro solteiro, sendo substituídas por picão‑preto, erva‑de‑santa‑luzia e macela no consórcio; trapoeraba e capim‑colchão parecem explorar nichos ecológicos equivalentes. O sistema consorciado deve ser preferencialmente adotado devido aos inúmeros benefícios atribuídos à presença da braquiária, destacando‑se dentre eles a elevada redução na ocorrência de espécies espontâneas de difícil controle.

Biografia do Autor

Germani Concenco

Pesquisador da Embrapa Agropecuária Oeste

Downloads

Publicado

2016-05-15

Edição

Seção

IX CBA 3. Sistemas de Produção Agroecológica.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 3 4 5 6 7 > >>