O Potencial do Ora-pro-nobis na Diversificação da Produção Agrícola Familiar

Autores

  • Maria Regina de Miranda Souza Empresa de Pesquisa Agopecuaria de Minas Gerais
  • Eduardo José Azevedo Correa EPAMIG-URZM
  • Geicimara Guimarães UFV - DER
  • Paulo Roberto Gomes Pereira UFV - Fitotecnia

Palavras-chave:

Pereskia, hortaliça não-convencional, alternativa de renda, agricultura familiar.

Resumo

O ora-pro-nobis (Pereskia aculeata Mill.) é uma planta de origem tropical de uso popular como alimento e medicinal, objeto de interesse na indústria alimentícia e farmacológica nos últimos anos, pelo alto teor de proteínas, lisina e mucilagem que apresenta. É uma planta de fácil reprodução e cultivo, por sua rusticidade, principalmente resistência a déficit hídrico, o que ressalta seu valor como hortaliça folhosa de reserva para os períodos em que há carência de outras folhosas, nas regiões mais quentes do Brasil. O objetivo desse trabalho é ressaltar, a partir de dados encontrados na literatura, a importância econômica e social dessa cultura como alternativa para diversificação na agricultura familiar, considerando mercados diferenciados bem como subsidiar estudos agronômicos atualmente escassos que possam ampliar seu uso e divulgação, os quais poderão qualificar e viabilizar sua produção em nível comercial, como também justificar o seu resgate no âmbito das culturas tradicionais.

Biografia do Autor

Maria Regina de Miranda Souza, Empresa de Pesquisa Agopecuaria de Minas Gerais

Graduada em Agronomia e Engenharia Agrícola e Pós-Graduada em Extensão Rural pela Universidade Federal de Viçosa (1997). Sua dissertação de mestrado foi desenvolvida na área de análise da participação dos diferentes atores envolvidos na implementação da avaliação de impactos ambientais. Atualmente é pesquisadora da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais. Tem experiência na área de difusão de tecnologia, desenvolvimento local e territorial, capacitação, diagnóstico participativo, com ênfase em alternativas para agricultura familiar, nas atividades relacionadas com artesanato, agroindústria familiar, turismo, educação de jovens rurais, tecnologias apropriadas, comercialização e agroecologia. Atua em comitês e conselhos relalcionados com meio ambiente e desenvolvimento local e territorial. Seu trabalho se direciona para a geração e divulgação de tecnologias sociais, promoção e análise das formas de intervenção social na agricultura e da inserção social da agricultura familiar no mercado. Promove feiras de artesanato junto a grupos de artesãos, associações, realizando concomitantemente levantamentos das potencialidades relacionadas com o conhecimeno popular. Atualmente é doutoranda em fitotecnia e desenvolve pesquisa sobre hortaliças não-convencionais com fins de resgate sócio- cultural e ambiental, diversificação da produção e geração de renda.

Eduardo José Azevedo Correa, EPAMIG-URZM

Possui graduação em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Minas Gerais (2001) e mestrado em Biologia Vegetal pela Universidade Federal de Minas Gerais (2004). Atualmente é pesquisador da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais. Tem experiência na área de Botânica, com ênfase em Botânica, atuando principalmente nos seguintes temas: caatinga, fungos micorrizicos, decomposição e ciclagem de nutrientes em florestas manejadas.

Geicimara Guimarães, UFV - DER

Geicimara Guimarães, estudante de Gestão de Cooperativas na Univesidade Federal de Viçosa, MG, bolsista de Iniciação Tecnologica do CNPq. Atua principalmente nos seguintes temas: Recomendação de fertilizante, agricultura familiar, sustentabilidade ambiental, formulação de rações para bovinos, análise de custo, cooperativas agropecuária , cooperativas de crédito e associação.

Paulo Roberto Gomes Pereira, UFV - Fitotecnia

Graduação em Agronomia pela Universidade Federal de Viçosa (1983), Mestrado em Microbiologia Agrícola/Solo pela Universidade Federal de Viçosa (1986) e Doutorado em Agronomia (Solos e Nutrição de Plantas) pela Universidade Federal de Viçosa (1992). É Professor da Universidade Federal de Viçosa desde 1991. Coordenador das disciplinas Nutrição Mineral de Plantas para Pós-Graduação e Olericultura Geral e Olericultura I para Agronomia. Professor da Disciplina Relação Solo-Planta para Pós. Participou de 90 bancas de tese MS e DS e 30 exames de qualificação para DS. Orientou 4 estudantes DS, 9 MS e co-orientou 10 estudantes DS e 17 MS. Coordenador ou membro de 64 projetos registrados na UFV. Líder do Grupo de pesquisa Nutrição Mineral de Plantas no Agronegócio . O grupo trabalha com a VISÃO que a nutrição e adubação são fatores básicos para a produção das plantas e portanto para toda a cadeia produtiva do agronegócio e tem como MISSÃO gerar conhecimento, tecnologias na forma de processos e produtos e inovação para o mercado por meio de pesquisa básica e aplicada visando gerar emprego, impostos, novos investimentos, segurança alimentar e bem estar social. Linhas de pesquisa e desenvolvimento de produtos e processos: nitrogênio: diagnóstico e qualidade de produto; hidroponia residencial e comercial; cultivo de mini hortaliças folhosas. PROJETOS atuais:INOVAÇÃO UFV-Diferentes modelos de vasos hidropônicos,financiado em Programa do CENTEV-UFV e SEBRAE/FAPEMIG após EVTE do Instituto de Inovação, para qualificar tecnologias inovadoras geradas na UFV, com ênfase em suas aplicações práticas para o mercado. Projeto aprovado no CNPq em 2008 para redigir, publicar e doar livro "CTI no ensino fundamental: o cultivo de plantas como recurso didático" até final de 2009 para 1000 escolas; Projeto aprovado no CNPq com final em 2009 para desenvolver técnicas de cultivo de mini hortaliças em hidroponia. Consultor de revistas científicas e agências financiadoras de pesquisa.

Downloads

Publicado

2009-12-31

Edição

Seção

1. VI CBA e II CLAA - Agroecossistemas/ Produção Vegetal

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)