Mutirão de Semeio em Massaranduba-PB: Um Exemplo de que a União faz a Força

Autores

  • Jefferson Virgínio da Silva Souza Centro de Ciências Agrárias/UFPB
  • Lívia Soraia Gomes Silva Lima Souza Centro de Ciências Agrárias/UFPB
  • João Carlos Camilo da Silva Centro de Ciências Agrárias/UFPB
  • Moisés Barros Silva Centro de Ciências Agrárias/UFPB

Palavras-chave:

Agricultura Familiar, Cooperação, Agroecologia

Resumo

Agricultores familiares têm obtido sucesso com uma experiência denominada “Mutirão de Semeio”, aliando boas produtividades, respeito ao meio e integração das comunidades. A prática consiste no uso de áreas de mata de capoeira para plantio das espécies cultivadas na região, utilizando-se áreas de topografia acidentada. No plantio, abrem-se veredas na capoeira, semeiam as culturas, e deixam no solo os restos vegetais das espécies arbóreas cortadas. Depois da semeadura os produtores só voltam para colheita. Após um ciclo de cultivo a área só é reutilizada anos mais tarde. Em 2008, efetuou-se um estudo com produtores de Massaranduba-PB, visando caracterizar as propriedades que participam do mutirão de semeio e as práticas de manejo adotadas na produção. Observou-se que 75% das áreas utilizadas eram acidentadas, não havia incidência de pragas e doenças, o número de pessoas envolvidas no semeio, em média, são oito e a produtividade média é de 225 kg/0,25 ha.

Biografia do Autor

Jefferson Virgínio da Silva Souza, Centro de Ciências Agrárias/UFPB

Graduando em Agronomia/CCA-UFPB

Lívia Soraia Gomes Silva Lima Souza, Centro de Ciências Agrárias/UFPB

Graduanda em Ciências Biológicas/CCA-UFPB

João Carlos Camilo da Silva, Centro de Ciências Agrárias/UFPB

Graduando em Agronomia/CCA-UFPB

Moisés Barros Silva, Centro de Ciências Agrárias/UFPB

Engenheiro Agrônomo formado pelo CCA-UFPB Produtor Rural

Downloads

Publicado

2009-12-31