Lembrança, muda, mudança: repensando sociedade e natureza através do conceito de experiência em Agroecologia

Autores

  • Daniel Alves Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão

Palavras-chave:

epistemologia, Modernidade, conhecimento, prática agroecológica

Resumo

A agroecologia exige não apenas uma nova dinâmica do uso das terras e das águas, mas também outra dinâmica na produção e uso do conhecimento. Analisamos, epistemologicamente e desde o ponto de vista das Ciências Humanas, o lugar do laboratório nas ciências experimentais e as consequências desse lugar em face da grande divisão moderna entre natureza e sociedade/cultura, a qual permeia o pensar e o fazer desta mesma ciência. Depois, relatamos uma situação social simples, na qual identificamos potencialidades para a criação de um outro lugar de produção de conhecimento, onde a memória social, os saberes científicos, os saberes populares e as políticas da natureza possam ser construídas dentro de uma perspectiva agroecológica.

Biografia do Autor

Daniel Alves, Universidade Federal de Goiás - Regional Catalão

Docente do Instituto de História e Ciências Sociais da Universidade Federal de Goiás, Regional Catalão. CV: http://lattes.cnpq.br/1326695339274172

Referências

BATESON, Gregory. Naven: um exame dos problemas sugeridos por um retrato compósito da cultura de uma tribo da Nova Guiné, desenhado a partir de três perspectivas. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2008.

CASTELLS, Manuel. A era da informação: economia, sociedade e cultura (vol. 2; O poder da Identidade). 3. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2000.

EVANS-PRITCHARD, E.E. Bruxaria, Oráculos e Magia entre os Azande. Rio de Janeiro: Zahar, 2005. (Coleção Antropologia Social)

LATOUR, Bruno. Jamais Fomos Modernos. Rio de Janeiro: Editora 34, 1994. (Coleção Trans)

MALINOWSKI, Bronislaw. Os Argonautas do Pacífico Ocidental. 2. ed. São Paulo: Abril Cultural, 1978. (Os Pensadores)

MARCUSE, Herbert. A ideologia da sociedade industrial: o homem unidimensional. 4 ed. Rio de Janeiro: Zahar, 1964.

MARX, Karl. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2004.

MAUSS, M. Ensaio sobre a dádiva. In: Sociologia e Antropologia. São Paulo: Cosac Naify, 2003.

TOLEDO, Víctor M.; BARRERA-BASSOLS, Narciso. A memória biocultural: a importância ecológica ds sabedorias tradicionais. Expressão Popular: 2015. (São Paulo)

VIVEIROS DE CASTRO, Eduardo. Perspectivismo e multinaturalismo na América indígena. In: A inconstância da alma selvagem – e outros ensaios de antropologia. São Paulo: Cosac Naify, 2002. p. 345-399.

WEZEL, A.; BELLON, S.; DORÉ, T.; FRANCIS, C.; VALLOD, D.; DAVID, C. Agroecology as a science, a movement or a practice. A review. Agronomy for Sustainable Development, v. 29, p. 503-515, 2009.

Downloads

Publicado

2016-12-15

Edição

Seção

Agroecol 2016 - Sociedade e Natureza

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)