Oficinas culinárias: ressignificando o uso de frutas nativas na alimentação dos agricultores dos Campos de Cima da Serra - RS

Autores

  • Carla Patricia Noronha Dornelles Mestranda em Extensão Rural pela UFSM
  • Janaina Betto Programa de Pós-Graduação em Extensão Rural - Universidade Federal de Santa Maria
  • Franciele Coghetto Doutoranda em Extensão Rural pela UFSM
  • Clayton Hillig Professor Adjunto do Departamento de Extensão Rural e Educação Agrícola da UFSM

Resumo

A alimentação baseada no uso de frutas nativas traz em si questões culturais e de preservação dos recursos naturais, aliados à transição agroecológica. Promover o uso desses produtos é um elemento para impulsionar o debate não apenas sobre a ressignificação da alimentação, mas de como ela pode ser importante para a preservação dos recursos naturais. O desenvolvimento de oficinas culinárias nos Campos de Cima da Serra – RS, mostra que é possível gerar debate e reflexão sobre o significado da alimentação, bem como demonstrar que as frutas nativas podem ser uma importante estratégia para a promoção da soberania e segurança alimentar e nutricional e preservação do que ainda resta dos recursos do Bioma. O trabalho realizado pelo CETAP com comunidades da região mostra a importância do uso e valorização das frutas nativas na alimentação dos agricultores.

Biografia do Autor

Carla Patricia Noronha Dornelles, Mestranda em Extensão Rural pela UFSM

Engenheira Florestal pela UFSM. Especialização - Residência Agrária pela UFSM. Mestranda em Extensão Rural pela UFSM.

Janaina Betto, Programa de Pós-Graduação em Extensão Rural - Universidade Federal de Santa Maria

Engenheira Florestal pela Universidade Federal de Santa Maria - Campus Frederico Westphalen. Atualmente sou mestranda no Programa de Pós-Graduação em Extensão Rural da UFSM.

Franciele Coghetto, Doutoranda em Extensão Rural pela UFSM

Bióloga pela URI- Campus Erechim. Mestre em Engenharia Agrícola pela UFSM. Doutoranda em Extensão Rural pela UFSM.

Clayton Hillig, Professor Adjunto do Departamento de Extensão Rural e Educação Agrícola da UFSM

Médico Veterinário Professor Adjunto do Departamento de Extensão Rural e Educação Agrícola da UFSM

Referências

ARDISSONE, R. E.; et. al. Biodiversidade pela boca: Plantas Alimentícias não Convencionais (PANCs).Projeto de Extensão: estudos e práticas de viveirismo em um centro de formação de agricultores. Instituto de Biociência - UFRGS e Cooperfumos, MPA, Centro de Formação em Bioenergia e Alimentos São Francisco de Assis, Santa Cruz do Sul: setembro de 2009.

CENTRO DE TECNOLOGIAS ALTERNATIVAS POPULARES – CETAP. Desenvolvimento Agroecológico de Comunidades Rurais. Passo Fundo, 2008.

FAO. Quase 870 milhões de pessoas no mundo estão subnutridas – novo relatório sobre a fome. Roma, 2012. Disponível em: <https://www.fao.org.br/q870mpmesnrsf.asp> acessado em: 09 de março de 2013.

KINUPP, V. F. Plantas Alimentícias Não-convencionais da Região Metropolitana de Porto Alegre – RS. 2007. 590f. Tese (Doutorado em Fitotecnia: Área de Concentração Horticultura) Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2007.

POLLAN, M. Em defesa da comida. Rio de Janeiro: Intrínseca, 2008.

SCHIMITT, C. J., Transição agroecológica e desenvolvimento rural: um olhar a partir da experiência brasileira. In: Sauer, S., Balestro, M. V. (org) Agroecologia e os desafios da transição ecológica. São Paulo: Expressão Popular, 2009

Downloads

Publicado

2016-05-20

Edição

Seção

IX CBA-Agroecologia / Relatos de Experiências

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)