Metodologias de ATER para mulheres rurais através de capacitação com abordagem agroecológica para inclusão e desenvolvimento

Autores

  • Antonia Julliana Sarafim Bezerra Universidade Federal do Cariri - UFCA Instituto Flor do Piqui - IFP
  • SOUZA Ana Lúcia Monteiro de Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE
  • OLIVEIRA Marcivânia Mascarenhas Fundação Francisco de Lima Botelho - FFLB
  • ALVES Jaiane Silva Barbosa
  • ALVES Josefa Cícera Martins

Resumo

Dentre as atividades de fortalecimento da agricultura familiar, o papel que as mulheres desempenham, são fundamentais para o satisfatório crescimento de uma propriedade. Analisando que as ações praticadas por elas, consolidam o trabalho agrícola, compõem uma parte significativa de renda e serve de suporte para demais ações, as mulheres significam no contexto rural, executoras de duas linhas de ação: são “donas de casa”, desempenhando os trabalhos domésticos que digam-se fundamentais para o restante das ações considerando que o ato de cozinhar resulta na alimentação dos membros da família; e também por executarem tarefas até então consideradas pequenas como cuidar do quintal, alimentar as galinhas, colher os ovos caipira ou cuidar de uma pequena horta, que também resultam na geração de renda familiar complementar, e acrescenta vários fatores como a segurança alimentar e nutricional, técnicas para produção agroecológica e produção de culturas ciclo curto com rápido retorno financeiro. Existe ainda um tabu para o trabalho realizado pelas mulheres, porém com o passar do tempo, ações, projetos e até políticas específicas para mulheres foram debatidas e estão sendo executadas satisfatoriamente. Em questão, dentre as metas do projeto REDE ATER Cariri, executado em parceria entre quatro (4) instituições não governamentais, dentre elas a Fundação Francisco de Lima Botelho que atuou nos municípios de Barbalha, Granjeiro, Farias Brito, Missão Velha e Jardim (município onde tem sua sede), levou ATER a grupos de mulheres em cada município atendido, através da realização de cinco (5) oficinas de trabalho para planejamento de atividades, cinco (5) cursos de capacitação e um (1) seminário regional sobre ATER para mulheres rurais, com oitenta participantes. Foram executados cursos e oficinas de artesanato de palha e de materiais recicláveis ou reutilizáveis como garrafas de plástico - peti, cabos de madeira, e retalhos de tecidos que não serviriam para outras atividades, em cada município com a participação de quarenta mulheres, e um seminário territorial enfocando a importância das mulheres rurais no contexto familiar, explicações sobre as linhas de ATER específicas para mulheres, políticas públicas e como podem ser amplamente utilizadas nas atividades femininas de mulheres rurais dentro dessa nova temática. Nas reuniões, o acesso a Políticas Públicas para Mulheres foi uma das pautas mais debatidas, onde as mulheres presentes ressaltaram a importância de programas que trabalham a saúde da mulher, temáticas sobre linhas de crédito específicas, e principalmente para inclusão da mulher no âmbito produtivo e o reconhecimento deste por parte da sociedade. A agricultura familiar no Cariri cearense vem mostrando seu potencial, tanto em valores da produção, quanto em inclusão social com pessoas ocupadas com atividades significantes. Nesse sentido, na aplicação de metas em projetos de ATER voltadas especificamente para Mulheres, podemos observar o empenho e desempenho desse braço forte, que é a mulher, na utilização de alternativas para geração de renda em apoio a suas famílias, pois possuem um olhar direcionado ao bem estar familiar, assim como da utilização de produtos recicláveis ou reutilizáveis, que podemos observar através das oficinas de elaboração de artesanatos, lançando um importante serviço ambiental na reciclagem de materiais, consequentemente a redução de emissão de lixo no ambiente.

Biografia do Autor

Antonia Julliana Sarafim Bezerra, Universidade Federal do Cariri - UFCA Instituto Flor do Piqui - IFP

Estudante de Graduação em Agronomia na Universidade Federal do Cariri - UFCA, consultora/ colaboradora na ONG - Instituto Flor do Piqui, na área de ATER para Agricultores Familiares.

SOUZA Ana Lúcia Monteiro de, Universidade Federal Rural de Pernambuco – UFRPE

Mestranda em Extensão Rural

OLIVEIRA Marcivânia Mascarenhas, Fundação Francisco de Lima Botelho - FFLB

Colaborador, extensionista em ATER

ALVES Jaiane Silva Barbosa

Mestranda em Fitotecnia.

ALVES Josefa Cícera Martins

Mestre em Desenvolvimento Regional pela UFCA.

Downloads

Publicado

2016-05-18

Edição

Seção

IX CBA-Agroecologia / Relatos de Experiências

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)