Percepção dos discentes do curso de licenciatura em Educação no Campo na UFCG, Sumé- PB

Autores

  • Carlos Augusto Silva Júnior Universidade Federal de Campina Grande
  • Natália Thaynã Farias Cavalcanti Universidade Federal de São Carlos
  • John Brehmer Sousa Alves Oliveira Universidade Federal de Campina Grande
  • Josenildo Oliveira Sobrinho Universidade Federal de Campina Grande
  • Marta Emília Aires Cavalcante Farias Universidade Estadual da Paraíba

Resumo

Este trabalho tem como objetivo identificar o perfil dos discentes do curso de LEC da UFCG do campus de Sumé, bem como a sua avaliação do curso e perspectivas futuras na profissão de educador no campo. Metodologicamente, utilizou-se questionário online com 14 perguntas, sendo 13 de múltiplas escolhas e 1 aberta, por meio da ferramenta Google forms. Constatou-se que dos 37 alunos, 51% são do sexo feminino, 68% residente a maioria na zona urbana. 97% acredita que o curso prepara para ser um educador que contribua para a valorização da cultura e identidade dos povos campesinos. Quanto as pespectivas, 51%, afirmaram que tem anseio de atuar no campo e 84% pretendem ingressar em uma pós-graduação. Conclui-se que o curso de LEC na UFCG de Sumé traz nas aulas os temas necessários para um docente do campo, estes, por sua vez, apresentam incertezas quanto sua atuação profissional no campo.

Biografia do Autor

Carlos Augusto Silva Júnior, Universidade Federal de Campina Grande

Graduando em Ciências Sociais da Unidade Acadêmica de Educação do Campo no Centro de Desenvolvimento Sustentável da universidade Federal de Campina Grande

Natália Thaynã Farias Cavalcanti, Universidade Federal de São Carlos

Bacharel em Agroecologia pela Universidade Estadual da Paraíba e mestranda em Agroecologia e Desenvolvimento Rural no Centro de Ciências Agrárias da Universidade Federal de São Carlos

John Brehmer Sousa Alves Oliveira, Universidade Federal de Campina Grande

Graduando em Ciências Sociais da Unidade Acadêmica de Educação do Campo no Centro de Desenvolvimento Sustentável da universidade Federal de Campina Grande

Josenildo Oliveira Sobrinho, Universidade Federal de Campina Grande

Graduando em Engenharia de Produção da Unidade Acadêmica de Tecnologia do Desenvolvimento no Centro de Desenvolvimento Sustentável da universidade Federal de Campina Grande

Marta Emília Aires Cavalcante Farias, Universidade Estadual da Paraíba

Licenciada em Ciências Biológicas pela Universidade Estadual da Paraíba e mestre em Desenvolvimento Regional pela Universidade Estadual da Paraíba

Referências

ARROYO. M. G.; CALDART. R. S. e MOLINA. M. Por uma educação do campo. (Org). Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2004.

BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização e Diversidade. Educação do Campo: diferenças mudando paradigmas. Brasília, 2007.

CALDART, R.S. A escola do campo em movimento. In: Arroyo, M.G.; Caldart, R.S.; Molina, M.C. (Org.). Por uma educação do campo. 2.ed. Petrópolis: Vozes, 2004. p.147-158

FREITAS, H. C. A. Rumos da Educação do Campo. Em Aberto, Brasília, v. 24, n. 85, p. 35- 49, abr. 2011.

ARRUDA, M. da C. C. ; OLIVEIRA, L. M. T. . Licenciatura em educação do campo: desafios e expectativas. Eccos Revista Científica, n. 33, p. 173-186, 2014.

MARTINS, F. J. Educação do Campo: processo de ocupação social e escolar. In: II Congresso Internacional de Pedagogia Social. Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, 2008. Disponível em: < http://www.proceedings.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=MSC0000000092008000100006&lng=en&nrm=iso&tlng=pt > Acesso em: 23 abri. 2015, 20:32:45.

Downloads

Publicado

2016-05-16

Edição

Seção

IX CBA 5. Construção do Conhecimento Agroecológico

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)