Modelos econômicos de sistemas silvipastoris com cercas vivas

Autores

  • Jaqueline Fontel Queiroz Universidade Federal do Pará (UFPA)
  • Rosana Quaresma Maneschy Universidade Federal do Pará
  • Maria de Nazaré Caetana Marques Universidade Federal do Pará (UFPA)

Resumo

Os sistemas silvipastoris (SSPs) têm sido indicados para reabilitar áreas de pastagem degradadas configurando sistemas pecuários mais sustentáveis. O uso de mourão vivo pode diminuir o custo de implantação e manutenção das cercas. Analisou-se a viabilidade econômica de modelos de SSP com alto e baixo nível de insumo com cercas vivas de gliricídia (Gliricidia sepium) comparado ao uso de mourão tradicional. Os indicadores financeiros utilizados foram: Valor presente líquido, Taxa interna de retorno, Relação benefício custo, Valor anual equivalente e Payback. Todos os modelos analisados foram considerados viáveis economicamente. Sendo que os SSPs possuem menor custo de implantação e a venda de estacas de gliricídia gera renda extra indicando que esse tipo de sistema é uma alternativa viável para os produtores da região estudada. Palavras-chave: agricultura familiar; sistema agroflorestal; viabilidade econômica

Biografia do Autor

Jaqueline Fontel Queiroz, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Estudante de Ciências Econômicas da UFPA e bolsista de PIBIC-UFPA

Rosana Quaresma Maneschy, Universidade Federal do Pará

Possui graduação em Agronomia pela Faculdade de Ciências Agrárias do Pará (1999), mestrado em Ciência Animal pela Universidade Federal do Pará (2003) e doutorado em Ciências Agrárias, área de concentração em Agroecossistemas da Amazônia, pela Universidade Federal Rural da Amazônia (2008). Atualmente é Professora Adjunto I da Universidade Federal do Pará, Campus Marabá, da disciplina Sistemas extrativistas e agroflorestais. Tem experiência na área de Agronomia, com ênfase em Sistemas agroflorestais, atuando principalmente nos seguintes temas: amazônia, sistema agroflorestal, sistema silvipastoril, suplementação mineral e conteúdo mineral de forrageiras.

Maria de Nazaré Caetana Marques, Universidade Federal do Pará (UFPA)

Estudante de Ciências Econômicas da UFPA e bolsista de PIBIC-UFPA

Referências

ANDRADE, H. S. O Uso da gliricídia (Gliricidia sepium) no estabelecimento de cercas vivas e como alternativa para suplementação alimentar de ruminantes no sudeste do Pará. Trabalho de Conclusão de Curso- Universidade Federal do Sul e sudeste do Pará (UNIFESSPA), 2014.

CASTRO, A. A. Análise econômica de sistemas agroflorestais e sua contribuição para a renda familiar em estabelecimentos agrícolas familiares, São Domingos do Araguaia-Pa. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais) Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), 2014.

CHAVES et al., Sistemas agroflorestais como alternativa de produção ecológica. 2009. p.2. Trabalho científico. Gestão Ambiental. Faculdade Católica do Tocantins. Palmas.

DIAS P. F.; SOUTO S. M.; LIZIEIRE R. S. Moirão Vivo de Gliricídia na Confecção de Cerca Elétrica. Embrapa: Niterói-RJ, 2009.

GUILHOTO et al. A importância da agricultura familiar no Brasil e em seus estados. 2007. Ministério do Desenvolvimento Agrário-MDA; Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas-FIPE.

HENTZ, A. M.; MANESCHY, R. Q. (Org.) Práticas Agroecológicas: Soluções sustentáveis para a agricultura familiar na região sudeste do Pará. 1. ed. Jundiaí: Paco Editorial, 2011. 330p.

MATOS, L. V.; CAMPELLO, E. F. C.; RESENDE, A. S. de; PEREIRA, J. A. R.; FRANCO, A. A. Plantio de Leguminosas Arbóreas para Produção de Moirões Vivos e Construção de Cercas Ecológicas. Embrapa Agrobiologia: Seropédica, 2005.

PORFÍRIO-DA-SILVA, V. Sistemas Silvipastoris. Embrapa Florestas [S.I]. Disponível em: <http://www.cnpf.embrapa.br/pesquisa/safs/> Acesso em: 30 mar. 2015, 14:10:30.

SANTANA, A. C. Elementos de economia, agronegócio e desenvolvimento local. Belém: GTZ/TUD/UFRA, 2005. 197 p.

Downloads

Publicado

2016-05-15

Edição

Seção

IX CBA 2. Estratégias de Desenvolvimento Socioeconômico.