039 - Cultivo agroecológico do cafeeiro: produtividade de cultivares em sistema solteiro e consorciado com bananeira

Autores

  • Ivo de Sá MOTTA EMBRAPA CPAO
  • Francieli Moreira da SILVA UNIGRAN/EMBRAPA CPAO
  • Milton Parron PADOVAN EMBRAPA CPAO
  • Leandro Flávio CARNEIRO UEMS
  • Elyane Ferreira da Costa SILVA UFGD

Palavras-chave:

agroecologia, Coffea arabica, variedades.

Resumo

A cafeicultura no Mato Grosso do Sul, que é realizada com a espécie Coffea arabica, apesar da área cultivada ser relativamente pequena, com 1.971ha, representa importante opção para geração de emprego e renda para a agricultura familiar. Em sistema agroecológico de produção, os cafeeiros podem ser consorciados com outras culturas (espécies frutíferas, sombreadoras e produtoras de biomassa), e considerando que a diversificação de cultivos é estratégica para pequenas propriedades ampliam-se as possibilidades para a viabilização econômica destas. Na escolha da cultivar algumas características devem ser consideradas tais como: adaptação às condições edafoclimáticas, porte, vigor, capacidade produtiva, qualidade dos frutos e grãos, tolerância a pragas e doenças e desempenho sob sombreamento. O cafezal no sistema de cultivo a pleno sol apresenta elevado potencial de produtividade, no entanto exige maiores teores de nutrientes pela planta. A introdução de espécies sombreadoras aos cafezais pode diminuir a dependência de insumos devido a favorecer a conservação do solo, água e biodiversidade, através da ciclagem de nutrientes proporcionada e maior presença de inimigos naturais das pragas do cafeeiro. As cultivares avaliadas nos dois sistemas (solteiro e consorciado com bananeiras) foram: IAPAR 59, IPR 99, Tupi. Obatã e Acauã. Portanto, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a produtividade de cinco cultivares em dois sistemas independentes de cultivo agroecológico solteiro (a pleno sol) e consorciado com bananeira (sombreado) em Ivinhema, MS. A produtividade das cultivares Acauã e IPR 99 foram superiores no sistema solteiro com 49,56 e 46,59 sacas de 60 kg beneficiados por hectare respectivamente. Já no sistema consorciado com bananeiras a cultivar que se destacou foi a Acauã com 24,83 sacas de 60 kg beneficiados por hectare.

Downloads

Publicado

2012-10-13

Edição

Seção

IV Seminário de Agroecologia do Mato Grosso do Sul - Resumos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 > >>