11706 - Impacto do manejo do agroecossistema na distribuição da abundância de espécies de insetos

Autores

  • Érica Sevilha Harterreiten-Souza Universidade de Brasília - UnB
  • Roberto Guimarães Carneiro EMATER - DF
  • Carmen Sílvia Soares Pires Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia
  • Edison Ryoiti Sujii Embrapa Recursos Genéticos e Biotecnologia

Palavras-chave:

espécies agrotolerantes, hortaliças, perturbação, práticas culturais

Resumo

A composição de comunidades de insetos é constantemente alterada pelo manejo dos agroecossistemas, mudando não só o número de espécies como a também a dominância de algumas. A hipótese deste trabalho é de que maiores perturbações no agroecossistema levam as maiores abundâncias de insetos. O objetivo desse estudo foi identificar grupos de espécies mais abundantes (agrotolerantes) em sistemas agrícolas e caracterizar seu padrão de distribuição de abundância relacionada a um gradiente de perturbação em sistemas de produção, que variou desde convencional até orgânico com sistemas agroflorestais (SAF’s). Maior abundância e mais espécies comuns foram encontradas em monocultivos quando comparada a sistemas com policultivos. A presença de SAF´s favoreceu uma distribuição de abundância mais equilibrada das espécies. O conhecimento de espécies agrotolerantes em cada grupo funcional possui implicações tanto para a conservação do controle biológico natural, quanto para a indicação de perturbação visando a seleção de práticas para o manejo em sistemas produtivos.

Downloads

Publicado

2012-01-11

Edição

Seção

VII CBA - 1. Conhecimento, tecnologias sustentáveis e políticas públicas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

<< < 1 2