10688 - Incidência da Murcha Bacteriana em Tomateiro Orgânico sob Diferentes Sistemas de Irrigação, Níveis de Água e Coberturas de Solo

Autores

  • Ricardo Nunes Cabral Universidade de Brasília
  • Waldir Aparecido Marouelli Embrapa Hortaliças
  • Daniel Anacleto da Costa Lage Universidade de Brasília
  • Guilherme Álvares Lapidus Universidade de Brasília
  • Adalberto Corrêa Café Filho Universidade de Brasília

Palavras-chave:

Solanum lycopersicum, Ralstonia solanacearum, agricultura orgânica, doenças de solo, tomate de mesa.

Resumo

Avaliou-se a incidência da murcha bacteriana (Ralstonia solanacearum) em tomateiro orgânico cultivado em diferentes sistemas de irrigação, níveis de água e coberturas de solo, nas condições de Brasil Central. Foram testados os seguintes sistemas: gotejamento com duas laterais por fileira de plantas (GO2L); gotejamento com “mulch” de plástico preto (GOM); gotejamento com “mulch” de palhada (GOP); microaspersão “subcopa” (MIC); aspersão acima do dossel (ASP); aspersão acima do dossel com “mulch” de palhada (ASPP); e sulco (SUL). Os níveis de irrigação testados foram: tensão-limite de água no solo de 15/30 kPa (umidade elevada); e tensão de 30/60 kPa (umidade moderada). Os sistemas GOP e ASPP apenas foram avaliados em condição de umidade elevada (Elev) e o SUL para umidade moderada (Mod). As maiores incidências de murcha bacteriana foram observadas nos tratamentos irrigados por SUL e gotejamento, com destaque para GOM-Elev e GO2L-Mod. Os tratamentos ASP e ASPP apresentaram menor incidência de murcha que os demais. Não houve correlação entre lâmina de água aplicada ou número de eventos de irrigação e incidência da doença.

Biografia do Autor

Waldir Aparecido Marouelli, Embrapa Hortaliças

Waldir A. Marouelli é pesquisador da Embrapa Hortaliças, desde 1985, e bolsista de Produtividade em Pesquisa do CNPq. Possui graduação e mestrado em Engenharia Agrícola pela Universidade Federal de Viçosa e doutorado em Engenharia Agrícola e de Biosistemas pela Universidade do Arizona. As principais linhas de pesquisa têm enfoque no manejo, racionalização e conservação da água em olericultura irrigada, relação solo-água-clima-planta e manejo de sistemas de irrigação. Endereço para correspondência: Embrapa Hortaliças; Rod. BR 60, km 9; Caixa Postal 218; CEP 70359-970, Gama, DF; fone (61) 33859068; email waldir@cnph.embrapa.br

Downloads

Publicado

2011-11-04

Edição

Seção

VII CBA - 1. Conhecimento, tecnologias sustentáveis e políticas públicas

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)