083-Diferenças entre geoprocessamento e levantamento a campo na quantificação de fragmentos florestais na microbacia do rio Itá, noMunicípio de Quatro Pontes, Paraná

Autores

  • Laline . Broetto UNIOESTE
  • Mauricio Guy Andrade UNIOESTE
  • Deise Dalazem Castagnara UNIOESTE
  • José Luiz Schneiders UNIOESTE
  • Daniela . Mondardo UNIOESTE

Palavras-chave:

técnicas de geoprocessamento, fragmentos florestais, gestão dos recursos naturais.

Resumo

A fim de evidenciar a importância da utilização de técnicas de geoprocessamento o objetivo deste trabalho foi comparar a quantificação de fragmentos florestais na microbacia do Rio Itá, no município de Quatro Pontes, Paraná State, Brazil, entre levantamento a campo utilizando-se GPS e a aplicação de ferramentas de geoprocessamento, realizada totalmente em escritório. As informações foram processadas e analisadas, no software SPRING. Após a quantificação dos fragmentos florestais foi possível perceber uma variação de 0,4% entre a quantificação a campo e a quantificação em escritório. Na quantificação a campo foi possível quantificar 245 ha de fragmentos florestais, e na quantificação em escritório 246 ha. Diante desta realidade encontrada, conclui-se que utilizando-se técnicas de geoprocessamento é possível estimar o tamanho dos fragmentos florestais a baixo custo, e os produtos gerados através da simples aplicação dessas ferramentas, pode gerar informações importantes para a gestão dos recursos naturais.

Downloads

Publicado

2011-06-16

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)