019-Educação do campo e os movimentos sociais: experiências entre o institucional e o instituinte mediadas pela agroecologia, docentes da UFRRJ e grupos de agroecologia e reforma agrária

Autores

  • Lia Maria Teixeira de Oliveira UFRRJ
  • Clarindo Aldo Lopes UFRRJ
  • Iranilde de Oliveira Silva UFRRJ
  • Andréia C. Matheus MST
  • Fernanda Olivieri de Lima
  • Patrícia Dias Tavares ATES-RJ
  • Luciana Nogueira Fontenele UFRRJ/GAE/AARJ
  • Selma . Dansi UFRRJ/GAE/AARJ

Palavras-chave:

formação, construção social, agricultura sustentável.

Resumo

Este trabalho contempla a temática sobre questões socioculturais e políticas educacionais contemporâneas, que vêm sendo focalizadas nos estudos e práticas sobre instituições, diversidade cultural e identidades no âmbito de programas em andamento na UFRRJ e os Movimentos sociais, baseados na agroecologia no estado do Rio de Janeiro. Trata-se de um ensaio onde os autores tecem relações entre os novos conceitos de educação do campo, pedagogia da alternância, agroecologia como conceitos estratégicos ora engendrados no seio de projetos em andamento não só na UFRRJ, mas também em outras instituições que se articulam pelas demandas dos movimentos sociais. A hipótese norteadora é que a agroecologia se constrói como prática social, consolidada na relação entre os instituintes e o institucional e a realidade, portanto, não sendo vista como conhecimento uniformizado para todas as comunidades. Apesar dos sujeitos institucionais buscarem consolidar uma ciência em bases de uma agricultura sustentável, há de se considerar que a agroecologia é resultado das identidades e da territorialidade dos sujeitos em seus processos de ocupação da terra e a cultura (cosmovisão).

Downloads

Publicado

2011-06-16

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)

1 2 > >>