A novelesca reforma curricular das ciências agrárias e a sustentabilidade: novas demandas, velhos problemas

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

José Marcos Froehlich

Resumo

A mudança de rumo nas discussões sobre desenvolvimento que as sociedades contemporâneas estão exigindo e empreendendo, colocam cada vez mais no centro do debate e do jogo político o ideário da sustentabilidade. As propostas daí advindas se derivam e exigem uma nova visão de ciência e tecnologia. Assim, para promover uma agricultura sustentável a formação e, por conseguinte, o perfil profissional dos técnicos não pode ser o mesmo daquele conformado pela agricultura dita “moderna”, posto que o processo formativo das ciências agrárias deve apresentar transformações substanciais em suas concepções educativas e práticas de ensino. Tal processo deve levar a um perfil do profissional que extrapole os limites da especialização, com background cultural amplo e que seja capaz, a partir de uma abordagem sistêmica e complexa da realidade, de estabelecer relações sistemáticas e coerentes entre as diversas áreas do conhecimento contemporâneo.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
FROEHLICH, José Marcos. A novelesca reforma curricular das ciências agrárias e a sustentabilidade: novas demandas, velhos problemas. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 5, n. 2, nov. 2010. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/9935>. Acesso em: 23 apr. 2019.
Palavras-chave
Ciências Agrárias; Agricultura Sustentável; Perfil Profissional; Desenvolvimento Sustentável; Formação Técnica
Seção
Artigos