MANEJO ECOLÓGICO DE SOLO CHAVE PARA O PROCESSO DE TRANSIÇÃO AGROECOLÓGICA

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Matheus Eduardo Trindade-Santos Marina Siqueira Castro

Resumo

A agricultura convencional vem contribuindo para a degradação dos ecossistemas naturais e dos agroecossistemas, resultando em perda da biodiversidade e dos serviços ecossistêmicos. Epistemologicamente a agroecologia se expande para além das estruturas do agrícola, auxiliando na mudança ética do ser humano. Assim, o manejo ecológico que caracteriza o solo como um ser vivo e funcional, passa a ser visto como uma ferramenta para a transição agroecológica. Esta pesquisa investiga o papel do manejo ecológico do solo e sua relação com a transição agroecológica, o reestabelecimento dos serviços ecossistêmicos e da agrobiodiversidade edáfica. Trata-se de um estudo qualitativo, utilizando como procedimento metodológico a revisão narrativa do conhecimento presente na literatura científica. Os resultados sugerem que o manejo do solo está conectado de forma indireta/direta aos serviços ecossistêmicos, bem como sua possibilidade de reestabelecer a agrobiodiversidade. Conclui-se que o manejo ecológico de solo reestabelece o papel do solo como autorregulador dos processos ecológicos e fundamental para a transição agroecológica.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
TRINDADE-SANTOS, Matheus Eduardo; CASTRO, Marina Siqueira. MANEJO ECOLÓGICO DE SOLO. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 16, n. 1, p. 12, apr. 2021. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/23337>. Acesso em: 12 apr. 2021. doi: https://doi.org/10.33240/rba.v16i1.23337.
Seção
Artigos

Referências

ABREU, L. S. de. A construção social da relação com o meio ambiente entre agricultores familiares da Floresta Atlântica Brasileira. IMOPI, 2005, 147p.
ALBERGONI, L.; PELAEZ, V. Da revolução verde à agrobiotecnologia: ruptura ou continuidade de paradigmas? Revista de Economia. Editora UFPR, Paraná. p. 31-53, 2007.
ALMEIDA H. C.; ALMEIDA D.; ALVES, M. V.; SCHNEIDER J.; MAFRA A. L.; BERTOLI I. Propriedades químicas e fauna do solo influenciadas pela calagem em sistema semeadura direta. Ciência Rural – Santa Maria, p. 1462-1465, 2007.
ALTIERI, M. A. Agroecologia: a dinâmica produtiva da agricultura sustentável. Porto Alegre: Ed. UFRGS, 1998.
ALTIERI, M. A. Agroecología: principios y estrategias para diseñar sistemas agrarios sustentables. Agroecología: el camino hacia una agricultura sustentable. Buenos Aires – La Plata, 2002.
ALTIERI, M. A. Agroecologia: bases científicas para uma agricultura sustentável. São Paulo: Expressão Popular; Rio de Janeiro: AS-PTA, 2008. p. 363-378.
ANDRADE, D. C.; ROMEIRO, A. R. Serviços ecossistêmicos e sua importância para o sistema econômico e o bem-estar humano. IE/UNICAMP. 2009.
ANDRADE, L. V.; ROMA, T. N. de; BALIEIRO, K. R. de C. Avaliação qualitativa da água de nascentes com diferentes usos do solo em seu entorno. CERNE [online]. 2012.
ANDRADES, T. O. de; GANIMI, R. N. Revolução verde e a apropriação capitalista. CES Revista, Juiz de Fora. p.43- 56, 2007.
ANGHINONI, I. MORAES, A.; CARVALHO, P.C.F.; SOUZA, E.D.; CONTE, O. LANG C. R. Benefícios da integração lavoura – pecuária sobre a fertilidade do solo em sistema plantio direto. Fertilidade do Solo e Nutrição de Plantas no Sistema Plantio Direto, Ponta Grossa. 2011.
ASSAD, M. L. L. Fauna do solo. Biologia dos solos dos Cerrados. Planaltina: Embrapa. 1997. 363-443p.
ASSIS, R. L. de. Agroecologia no Brasil: análise do processo de difusão e perspectivas.) – Instituto de Economia. 2002. 173 p. Tese (Doutorado em Economia Aplicada) – Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2002
AZEVEDO, C.O.; SANTOS, H.S. Perfil da fauna de himenópteros parasitoides (Insecta, Hymenoptera) em uma área de Mata Atlântica da Reserva Biológica de Duas Bocas, Cariacica, ES, Brasil. Boletim do Museu de Biologia Mello Leitão. 2000.
BAIDU-FORSON, J.J.; HODGKIN, T.; JONES, M. Introduction to special issue on agricultural biodiversity, ecosystems and environment linkages in Africa. Agriculture, Ecosystems and Environment. v. 157, p. 1-4, 2012.
BIANCHI, F.J.J.A.; MIKOS, V.; BRUSSAARD, L.; DELBAERE, B.; PULLEMANA, M.M. Opportunities and limitations for functional agrobiodiversity in the European context. Environmental Science and Policy, v. 27, p. 11-20, 2013.
BRUSSAARD, L.; CARON, P.; CAMPBELL, B.; LIPPER, L.; MAINKA, S.; RABBINGE, R.; BABIN, D.; PULLEMAN, M. Reconciling biodiversity conservation and food security: Scientific challenges for a new agriculture. Current Opinion in Environmental Sustainability. V. 2, p. 34-42, 2010.
CAMARGO, P. Fundamentos da transição agroecológica: racionalidade ecológica e campesinato. Revista Agrária. n. 7, p. 156-181, 2007
CAPORAL, F.R.; AZEVEDO, E. O. (Org.). Princípios e Perspectivas da Agroecologia. Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná, 2011.
CAPORAL, F. R.; COSTABEBER, J. A. Agroecologia e extensão rural: contribuições para a promoção do desenvolvimento rural sustentável. Brasília: MDA/SAF/DATER-IICA. 2004.
CASALINHO, H. Qualidade do solo como indicador de sustentabilidade de Agroecossistemas. Revista Brasileira de Agrociência, v. 13, n. 2, p. 195-203, 2007.
CHABOUSSOU, F. Plantas doentes pelo uso de agrotóxicos: a teoria da trofobiose. Tradução de GUAZELLI, M. J. Porto Alegre: L&PM, 1987. 256p.
COSTANZA, R.; D’ARGE, R.; DE GROOT, R.S.; FARBER, S.; GRASSO, M.; HANNON, B.; LIMBURG, K.; NAEEM, S.; O’NEILL, R.V.; PARUELO, J.; RASKIN, R.G.; SUTTON, P.; VAN DEN BELT, M. The value of the world’s ecosystem services and natural capital. Nature 387, p. 253–260, 1997.
CRANSTON, P.S; GULLAN, P.J; Os Insetos um Resumo de Entomologia. 3ª Edição, São Paulo: Roca. 2007.
DINIZ-FILHO, J.A.F., T.F.L.V.B. RANGEL, L.M. BINI & B.A. HAWKINS. Macroevolutionary dynamics in environmental space and the latitudinal diversity gradient in New World birds. Proc. Roy. Soc. B 274: 43-52. 2007.
DUARTE, L. R. R. Transição Agroecológica: Uma estratégia para convivência com a realidade semi-árida do Ceará. 2009. 125 p. Dissertação (Mestrado em Geografia) – Universidade Federal do Ceará, Fortaleza. 2009.
FALCÃO, B. M. L. A percepção do agricultor familiar sobre solos e agroecologia: estudo de caso em Boa Vista-PB. 2015. 72p. (Trabalho de Conclusão de Curso - Superior de Tecnologia em Agroecologia), Universidade Federal de Campina Grande, Sumé – Paraíba. 2015.
FERREIRA, J. H. O.; KATO, M. S. A. Influência do método de preparo da área na mesofauna do solo na região Nordeste do Pará. In: SEMINÁRIO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA EMBRAPA AMAZÔNICA ORIENTAL, 1, 2003, Belém, Resumo expandido, UFRA, Belém, 2003.
FIEIRA, C.; BATISTA, K.A. Agroecologia e o manejo ecológico do solo. Revista Synergismus Scyentifica. v.4, n.1, 2009
FOOD AND AGRICULTURE ORGANISATION OF THE UNITED NATIONS (FAO). Biodiversity to curb world’s food insecurity. Global conference on biological diversity in Bonn. FAO Newsroom. Rome. 2008. . Acesso em: 02 jul. 2017.
FOOD AND AGRICULTURE ORGANIZATION OF THE UNITED NATIONS (FAO). Status of the World's Soil Resources. 2015. 658p.
GARLET, J. Levantamento Populacional da Entomofauna em Plantios de Eucalyptus spp. Santa Maria - RS, 2010. 84p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Florestal) - Universidade Federal de Santa Maria, 2010.
GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010. 184p.
GLIESSMAN, S.R. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. 2ed. Porto Alegre: Editora Universidade, 2001. 656p.
GROOT, R. S. de, ALKEMADE, R.; BRAAT, L.; HEIN, L.; WILLEMEN, L. Challenges in integrating the concept of ecosystem services and values in landscape planning, management and decision making. Ecological Complexity, 2010.
GUIBOSHI, M.L.; RODRIGUES, L.H.A.; LOMBARDI NETO, F. Sistema de suporte à decisão para recomendação de uso e manejo da terra. Revista Brasileira de Engenharia Agrícola e Ambiental, Campina Grande. p.861-866. 2006.
JONES, A., DUNBAR, M.B., ORGIAZZI, A., ROMANOWICZ, A., PAYA-PEREZ, A., MULHERN, G., TOTH, G., MONTANARELLA, L. Soil – What is it good for? Joint Research Centre, European Comission. 2015.
KIMBERLING, D. N. Measuring human disturbance using terrestrial invertebrates in the shrub-steppe of eastern Washington (USA). Ecological Indicators, 2001.
KLEIJN, D. Delivery of crop pollination services is an insufficient argument for wild pollinator conservation. Nature Communications. 2015.
KUBISZEWSKI, T. S. Transição Agroecológica: estudo de caso em uma propriedade no município de Charqueadas, RS atendida pela Emater/RS-ASCAR. 2019. 30p. (Trabalho de Conclusão de Curso - Agronomia) Universidade Federal do Rio Grande do Sul. 2019.
KUMMER. L. Metodologias Participativas no Meio Rural: Uma visão interdisciplinar conceitos, ferramentas e vivencias. GTZ e Desenvolvimento local. Salvador, 2007. 155p.
LAVELLE, P. Diversity of soil fauna and ecosystem function. Biology International, n. 33, 1996.
LIMA, R. W. S.; DIAS, D. S.; SILVA, C. A. R.; ARAUJO, K. D. Macrofauna invertebrada no compartimento solo, em Maceió, Alagoas. Revista Craibeiras de Agroecologia, v. 4, 2019.
MAES, J. An indicator framework for assessing ecosystem services in support of the EU Biodiversity Strategy to 2020. Ecosystem Services. 2016. Disponível em: . Acesso em: 02 jul. 2017.
MARIN, J. O. B. Agricultores familiares e os desafios da transição agroecológica. Revista UFG. v. 11, n. 7, 2009.
MAZOYER, M.; ROUDART, L. História das agriculturas no mundo: do neolítico à crise contemporânea. São Paulo: Edunesp; DF: NEAD, 2010. 567p.
MELO, F. V. de BROWN, G. G. CONSTANTINO, R. LOUZADA, J. N. C. LUIZÃO, F. J. MORAIS, J. W. de ZANETTI, R. A importância da meso e macrofauna do solo na fertilidade e como bioindicadores. Viçosa, MG: Sociedade Brasileira de Ciências do Solo, 2009.
MELO, D. M. A.; REIS, E. F.; RODRIGUES, G. T.; COARACY, T. N.; SILVA, W. A. O.; ARAÚJO A. E. Etnopedologia na qualidade de solos de agroecossistemas em transição agroecológica. Revista Craibeiras de Agroecologia, v. 4, n. 1, 2019.
MENDES, L. C; HUNGRIA, M; JUNIOR, F. B. R; Bioindicadores para Avaliação da Qualidade dos Solos Tropicais: Utopia ou Realidade? Embrapa Cerrado, Planaltina – DF. 2009.
MENDONÇA, E. S.; LEITE, L. F. C.; FERREIRA-NETO, P. S. Cultivo de café em sistema agroflorestal: uma opção para recuperação de solos degradados. Revista Árvore, v. 25, n. 3, p. 375-383, 2001.
MILLENNIUM ECOSYSTEM ASSESSMENT (MEA). Ecosystem and Human Well-Being: Synthesis. Island Press, Washington, DC. 2005.
MOÇO, M. K. S. Soil and litter fauna of cacao agroforestry systems in Bahia, Brazil. Agroforestry Systems, v. 76, n. 1, p. 127-138, 2009.
MULLER, J. M.; LOVATO, P. E.; MUSSOI, E. M. Do tradicional ao agroecológico: as veredas das transições (O caso dos agricultores familiares de Santa Rosa de Lima/SC). Eisforia (UFSC). v. 1, n.1, p. 98-121, 2002.
OLIVEIRA, H. C.; ALMEIDA, S. V. G. de; RÊGO, V. G. de S.; MEDEIROS, F. S. de; FARIAS, S. A. R.; LIMA, J. R. de. Diagnóstico ambiental da utilização da terra e de implicações ecológicas em microbacia da Serra do Teixeira, Patos (PB). Revista Brasileira de Educação Ambiental, v.14, n.4, p. 170-184, 2019.
PARRON, L. M.; RUIZ GARCIA, J.; MOREIRA, J. M. M. Á. P.; PORFÍRIO-DA-SILVA, V. Avaliação de serviços ecossistêmicos em sistemas agrossilvipastoris. Revibec: revista iberoamericana de economía ecológica, v. 30, p. 81-100, 2019.
PERRANDO, E. R. Caracterização física e biológica do solo após aplicação de herbicidas em plantios de Acácia-Negra (Acacia mearnsii De Wild.) no Rio Grande Do Sul. 2008. 93 p. Tese (Doutorado em Engenharia Florestal) – Universidade federal de Santa Maria, Santa Maria, 2008.
POSTMA-BLAAUW, M.; de GOEDE R.G.; BLOEM J.; FABER J.H.; BRUSAAD L. Soil biota community structure and abundance under agricultural intensification and extensification. Ecological Society of America content in a tr. Ecology, v. 91, n. 2, p. 460-473, 2010.
PRIMAVESI, A. Manejo Ecológico do Solo: A Agricultura em Regiões Tropicais. Nobel, São Paulo, 2002. 549p.
PRIMAVESI, A. Revisão do conceito de agricultura orgânica: Conservação do solo e seu efeito sobre a água. Biológico. 2003.
RAFAEL, J.A.; MELO, G.A.R.; CARVALHO, C.J.B. de; CASARI, S.A.; CONSTANTINO, R. (Eds.). 2012. Insetos do Brasil: Diversidade e Taxonomia. Ribeirão Preto. Holos Editora, 2012, 810 p.
REICOVSKY, D.C. La perdida de dióxido de carbono en el suelo à causa de las labranzas. Congresso. Nacional. Siembra Directa.1996.
RODRIGUES, V. Desertificação: problemas e soluções. In: OLIVEIRA, T.S.; ASSIS JÚNIOR, R.N.; ROMERO, R.E. & SILVA, J.R.C., eds. Agricultura, sustentabilidade e o semi-árido. Fortaleza, Universidade Federal Ceará, Viçosa, MG, Sociedade Brasileira de Ciência do Solo. 2000.
RODRIGUES, D. M. Agrobiodiversidade e os serviços ambientais: perspectivas para o manejo ecológico dos agroecossistemas no estado do Pará. Revista Agroecossistemas, v. 4, n. 1, p. 12-32, 2012.
SANTILLI, J. Agrobiodiversidade e direito dos agricultores. São Paulo: Peirópolis, 2009. 519p.
SANTOS, M.; SILVEIRA, M. L. O território e sociedade no início do século XXI. Rio de Janeiro: Record, 2001. 476p.
SANTOS, A. N. O.; SANTOS, E. P. S.; JESUS, E. S.; ALVES-FILHO, E.; MAMEDE, T. C. A.; CASTRO, M. S. Técnicas de manejo ecológico do solo na comunidade Fazenda Campos no município de Amélia Rodrigues, Bahia. Cadernos de Agroecologia, Anais do VI CLAA, X CBA e V SEMDF. v. 13, n. 1. 2018.
SCHMITT, C. J. Transição agroecológica e desenvolvimento rural: um olhar a partir da experiência brasileira. In: BALESTRO, Moisés; SAUER, Sérgio. (Org.). Agroecologia e os desafios da transição ecológica. Expressão Popular, 2009. 328p.
SILVA, A.C.C. Monumento Natural Grota do Angico: Florística, estrutura da comunidade, aspectos auto-ecológicos e conservação. 2011. 87p. Dissertação (Mestrado em Ecologia e Conservação) – Universidade Federal de Sergipe, Sergipe, 2011.
SUKHDEV, P. The Economics of Ecosystems and Biodiversity. Interim Report of the Convention on Biological Diversity. European Communities, Cambridge, United Kingdom. 2008.
VALENT, J. Z. O processo decisório na transição agroecológica dos agricultores da cooperativa leoboqueirense de agricultores familiares. 2014, 98p. Dissertação (Mestrado em Agronegócios) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.
VEZZANI, F. M. Solos e os serviços ecossistêmicos. Revista Brasileira de Geografia Física. v. 8, p. 673-684, 2015.
VEZZANI, F.M.; MIELNICZU, K, J. O solo como sistema. Revista Brasileira de Solos. p. 104, 2011.
WALLACE, K. J. Classification of ecosystem services: Problems and solutions. Biological Conservation. v. 139, n. 3-4, p. 235-246, 2007