A homeopatia como indutora de resistência do feiijoeiro à herbivoria de insetos em sistemas agroecológicos

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Tarita Cira Deboni

Resumo

A homeopatia vem apresentando resultados no metabolismo das plantas, promovendo suas defesas naturais, que podem ser mensuradas através de análises bioquímicas e fisiológicas. Entretanto, ainda pouco se sabe a respeito da atuação dos preparados homeopáticos no sistema de defesa das plantas à herbivoria por insetos, e se estes podem atuar como indutores de resistência agindo na auto-regulação das plantas. O objetivo deste trabalho foi avaliar se os preparados homeopáticos atuam na indução de resistência em feijoeiro contra a herbivoria de insetos em sistemas de transição agroecológicos. O primeiro experimento foi de triagem, em que foram testados os seguintes preparados homeopáticos: Arsenicum album, Staphisagria, Silicea terra e Sulphur, nas potências 6CH, 12CH e 18CH, comparados às testemunhas. Já para o segundo experimento foram selecionados apenas: Arsenicum album 6CH, Silicea terra 6CH, Staphisagria 12CH e Sulphur 6CH. Ambos experimentos conduzidos em estufa, em delineamento inteiramente casualizado, com aplicação dos tratamentos a 1% em água destilada e comparados às testemunhas. No segundo experimento o feijoeiro foi cultivado em duas gerações subsequentes: a primeira foi a parental e a segunda a progênie e houve estresse causado por herbivoria da lagarta Helicoverpa armigera (Lepidoptera: Noctuidae). Determinou-se a concentração de proteínas e a atividade das enzimas guaiacol peroxidase (POD) e ascorbato peroxidase (APX) em folhas e raízes do feijoeiro. As diferenças entre os tratamentos e as testemunhas de ambos experimentos foram estimadas por análises de tamanho de efeito Delta de Glass. O terceiro experimento foi conduzido a campo, na safra 2019, em delineamento fatorial duplo com esquema de parcelas subdivididas. Na parcela foram dispostos os tratamentos Arsenicum album 6CH, Silicea terra 6CH, e a testemunha com água destilada, e na subparcela a presença ou ausência de tela de proteção. As variáveis analisadas foram concentração de proteína, atividade de fenilalanina amônia-liase (FAL), peroxidação de lipídios (MDA), trocas gasosas, teor de clorofila, componentes do rendimento e, proteína e nitrogênio total nos grãos. Em laboratório foram conduzidos três experimentos com a lagarta H. armigera, sendo um destes com livre escolha, avaliando o efeito de antixenose e outro sem chance de escolha, avaliando o efeito de antibiose. Nestes últimos os dados foram submetidos a análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey (p<0,05). Os preparados homeopáticos Arsenicum album, Silicea terra, Staphisagria e Sulphur causaram alterações na concentração de proteína e atividade de peroxidases, APX e POD, em plantas de feijoeiro cultivadas na estufa. Estas alterações demostraram efeito transgeracional quando as plantas foram expostas aos danos por herbivoria causados pela lagarta H. armigera, indicando potencial indutor de resistência dessas homeopatias. O feijoeiro tratado com preparados homeopáticos Arsenicum album 6CH e Silicea terra 6CH provocou resposta do tipo antixenose e antibiose nas lagartas de H. armigera. A homeopatia demonstra que pode induzir o sistema de defesa das plantas facilitando os processos de transição agroecológica.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
DEBONI, Tarita Cira. A homeopatia como indutora de resistência do feiijoeiro à herbivoria de insetos em sistemas agroecológicos. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 15, n. 3, p. 2, oct. 2020. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/23260>. Acesso em: 24 oct. 2020. doi: https://doi.org/10.33240/rba.v15i3.23260.
Seção
Resumos de Dissertações e Teses