ANÁLISE ECONÔMICA DA AGRICULTURA BIODINÂMICA UMA POSSIBILIDADE PARA A AGRICULTURA FAMILIAR NO PLANALTO CATARINENSE

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Cleber José Bosetti Antônio Lunardi Neto André Lange

Resumo

A agricultura biodinâmica desde sua concepção por Rudolf Steiner, junto com alguns agricultores alemães na década de 1920, tem buscado recompor o equilíbrio sistêmico no que se refere às relações entre o ser humano, a agricultura e o cosmo. Diante de algumas dificuldades criadas pela agricultura moderna em termos de sustentabilidade econômica, principalmente para a agricultura familiar, as proposições da agricultura biodinâmica podem ser uma possibilidade tangível de geração de renda e bem estar para os agricultores. Assim, este artigo busca apresentar um estudo introdutório acerca da viabilidade econômica da agricultura biodinâmica no planalto catarinense a partir de um experimento que analisou o Produto Bruto-PB, o Valor Agregado Bruto-VAB e as condições sistêmicas do organismo agrícola de uma área experimental durante o ano agrícola 2019/2020. Embora observadas algumas dificuldades de eficiência do manejo que precisam ser estudadas e aperfeiçoadas, a análise dos resultados econômicos mostrou-se satisfatória e promissora enquanto proposição para a agricultura familiar.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
BOSETTI, Cleber José; NETO, Antônio Lunardi; LANGE, André. ANÁLISE ECONÔMICA DA AGRICULTURA BIODINÂMICA. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 15, n. 3, p. 11, oct. 2020. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/23205>. Acesso em: 24 oct. 2020. doi: https://doi.org/10.33240/rba.v15i3.23205.
Seção
Artigos

Referências

ARBAGE, A.P. Fundamentos de economia rural. Chapecó-SC: ARGOS, 2012.

ALTIERI, M. Agroecologia: as bases científicas da agricultura alternativa. Rio de Janeiro: PTA/FASE, 1989.

CARSON, R. Primavera silenciosa. São Paulo: Gaia, 2010.

BARBOSA J. S, SILVA K. C. R, CARDUCCI C. E, SANTOS, K.L, KOHN L. S, FUCKS J. S. Atributos Físico-hídricos de um Cambissolo Húmico Sob Sistema Agroflorestal no Planalto Catarinense. Floresta e Ambiente, 2017.

DELGADO, G. C; BERGAMASCO, S. M.(orgs.). Agricultura familiar brasileira: desafios e perspectivas de futuro. Brasília: Ministério do Desenvolvimento Agrário, 2017.

EPAGRI/CEPA. Síntese anual da agricultura de Santa Catarina safra 2017/2018. Florianópolis: EPAGRI/CEPA, 2018.

GOETHE, J.W. Doutrina das cores. São Paulo: Nova Alexandria, 2003.

HEISER JUNIOR, C. Sementes para a civilização: a história da alimentação humana. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1977.

KHATOUNIAN, C. A. A reconstrução ecológica da agricultura. Botucatu-SP: Agroecológica, 2001.

KLETT, M. The evolution of human consciousness and the dissociation of mankind from nature in the development of agriculture. In: MIKLÓS, Andreas Átilla de Wolinsk (org). A dissociação entre homem e natureza: reflexos no desenvolvimento humano. Anais da IV Conferência brasileira de agricultura biodinâmica. São Paulo: Antroposófica; ABD, 2001a.

KOEPF, H; PETERSEN, B; SCHAUMANN, W. Agricultura Biodinâmica. São Paulo: Nobel, 1983.

LANZ, R. Noções básicas de antroposofia. São Paulo: Antroposófica, 1997.

LOBO, C. E. de S. Do pensar ao fazer: perspectivas filosóficas, conceituais e práticas acerca da agricultura biodinâmica no Brasil. Dissertação de Mestrado. São Paulo: USP, 2018.

MAZOYER, M; ROUDART, L. História das agriculturas no mundo: do neolítico à crise contemporânea. São Paulo: UNESP; Brasília: NEAD, 2010.

MIGUEL, L. de A; MACHADO; J. A. D. Indicadores quantitativos para a avaliação da unidade de produção agrícola. In WAGNER, S. A. et al (org). Gestão e planejamento de unidades de produção agrícola. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2010.

MIKLÓS, A. A. de W. A terra e o homem. In: MIKLÓS, A. A. de W. (org). A dissociação entre homem e natureza: reflexos no desenvolvimento humano. Anais da IV Conferência brasileira de agricultura biodinâmica. São Paulo: Antroposófica; ABD, 2001.

MORIN, E. A cabeça bem feita: repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand do Brasil, 2017.

ORMOND, J. G. P. Glossário de termos usados em atividades agropecuárias, florestais e ciências ambientais. Rio de Janeiro: BNDES, 2006.

PAULUS, G, et al. Agroecologia aplicada: práticas e métodos para uma agricultura de base ecológica. Porto Alegre: Emater, 2000.

PRIMAVESI, A. Pergunte ao solo e as raízes: uma análise do solo tropical e mais de 70 casos resolvidos pela agroecologia. São Paulo: NOBEL, 2014.

SILVA, N. Análise do resultado financeiro do cultivo do alho: estudo em propriedades rurais de pequeno porte de Curitibanos – SC. Rev. CCEI – URCAMP, V.22, n37 2017.

STEINER, R. Fundamentos da agricultura biodinâmica: vida nova para a terra. São Paulo: Antroposófica, 2017.

THUM, M. O trabalho na terra e as constelações. Botucatu-SP: Centro Démeter, 1986.

WREGE, M. S; STEINMETZ S; REISSER JUNIOR, C; ALMEIDA I. R. Atlas climático da Região Sul do Brasil. Pelotas: Embrapa Clima Temperado; Colombo: Embrapa Florestas; 2011.