F FRUTÍFERAS NATIVAS DA FLORESTA OMBRÓFILA MISTA DESAFIOS, POTENCIALIDADES E O PAPEL DA AGROECOLOGIA NA PROMOÇÃO DA SOCIOBIODIVERSIDADE NA REGIÃO CANTUQUIRIGUAÇU, PR

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Camila Traesel Schreiner Loyvana Carolina Perucchi Tatiana Mota Miranda Débora Leitzke Betemps

Resumo

Considerando a importância de se buscar alternativas baseadas no uso sustentável e manutenção da Floresta Ombrófila Mista e de sua biodiversidade, este artigo aborda os desafios e potencialidades no uso, manejo e propagação das frutas nativas no território Cantuquiriguaçu, PR, destacando o papel da agroecologia na promoção da sociobiodiversidade local. As análises baseiam-se em pesquisa participantiva região e entrevistas semiestruturadas realizadas com 17 famílias agricultoras participantes da Rede Ecovida de Agroecologia. A sociobiodiversidade e a agroecologia são apontadas como importantes aliadas na produção de alimentos, de forma a conciliar a produção com a conservação e aproveitamento da biodiversidade, promovendo, assim, sua valorização e conservação ao mesmo tempo em que geram renda e qualidade de vida para comunidades e famílias agricultoras.

##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Como Citar
SCHREINER, Camila Traesel et al. F FRUTÍFERAS NATIVAS DA FLORESTA OMBRÓFILA MISTA. Revista Brasileira de Agroecologia, [S.l.], v. 15, n. 3, p. 13, oct. 2020. ISSN 1980-9735. Disponível em: <http://revistas.aba-agroecologia.org.br/index.php/rbagroecologia/article/view/23181>. Acesso em: 05 dec. 2020. doi: https://doi.org/10.33240/rba.v15i3.23181.
Seção
Artigos

Referências

BENTLEY, J. W.; BAKER, P. S. Comprendiendo y Obteniendo lo Máximo del Conocimiento Local de los Agricultores. In: GONSALVES, J. (ed). Investigación y Desarrollo Participativo para la Agricultura y el Manejo Sostenible de Recursos Naturales. Ottawa: Centro Internacional de la Papa, Centro Internacional para el Desarrollo (IDRC), 2006, p. 67-75.
BRACK, P. Crise da biodiversidade, ainda distante da economia. Ciência e Ambiente, n. 42, p. 147-162, 2011.
BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Guia alimentar para a população brasileira. 2. ed. Brasília: Ministério da Saúde, 2014. 158 p.
BRASIL. Ministério do Meio Ambiente – MMA, Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome – MDS. Plano Nacional de Promoção das Cadeias de Produtos da Sociobiodiversidade. Brasília, DF, 2009.
CAPORAL, F.R.; COSTABEBER, J.A. 2004. Agroecologia e Extensão Rural: contribuições para a promoção do Desenvolvimento Rural Sustentável, Porto Alegre: Emater/RS-Ascar, 2004. 177 p.
CASTELLA, P. R.; BRITEZ, R. M. (Org.). A Floresta com Araucária no Estado do Paraná. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2004. 236 p.
CORADIN, L. et al. Espécies nativas da flora brasileira de valor econômico atual ou potencial: plantas para o futuro – região sul. Brasília: Ministério do Meio Ambiente, 2011. 934p.
DAL SOGLIO, F. K. Como avançar a agricultura ecológica para além da substituição de insumos. In: CANUTO, J. C.; COSTABEBER, J. A. (Org.) Agroecologia: Conquistando a soberania alimentar. Porto Alegre: Emater/RS-Ascar; Pelotas: Embrapa Clima Temperado, 2004. 264p.
FERRETTI, A. R. et al. Os estados da Mata Atlântica: Paraná. In: CAMPANILI, M.; GOMES, R. Análise e interpretação de dados de pesquisa qualitativa. In: MINAYO, Maria Cecília de Souza (org.). Pesquisa Social: Teoria, método e criatividade. 18 ed. Petrópolis: Vozes, 2001. 80p.
GOODMAN, D. The quality ‘turn’ and alternative food practices: reflections and agenda. Journal of Rural Studies, v.19, n.1, p. 1-7, 2003.
HIROTA, M. M. Atlas dos remanescentes florestais da Mata Atlântica: relatório técnico: período 2017–2018. São Paulo: Fundação SOS Mata Atlântica, 2019. 65p.
KHATOUNIAN, C. A. A reconstrução ecológica da agricultura. Botucatu: Agroecológica, 2001. 345p.
KINUPP, V. F. Plantas Alimentícias Não-Convencionais (PANCs): uma Riqueza Negligenciada. In: Reunião Anual da SBPC, 61ed. 2009, Manaus. Anais da 61 Reunião Anual da SBPC. Manaus: Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas (IFAM) Campus Manaus-Zona Leste, 2009. p. 01-04.
KÖHLER, M.; BRACK, P. Frutas nativas no Rio Grande do Sul: cultivando e valorizando a diversidade. Revista Agriculturas, v. 13, n. 2, p. 7-15, 2016.
KÖHLER, M. Diagnóstico preliminar da cadeia das frutas nativas no estado do Rio Grande do Sul. 2014. 67p. Trabalho de conclusão de curso (Bacharel em Ciências Biológicas), Instituto de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2014.
LEMOS, A. et al. Importância do cultivo e processamento de frutas nativas na região da Cantuquiriguaçu. In: II Mostra de Iniciação Acadêmica - II MIA, 2011, Laranjeiras do Sul: Universidade Federal da Fronteira Sul.
LORENZI, H. et al. Frutas Brasileiras e Exóticas Cultivadas (de consumo in natura). São Paulo: Instituto Plantarum de Estudos de Flora, 2006. 640p.
MAURMANN, K. Como o manejo tradicional da folha de Butia capitata (Martius) Beccari pode promover a conservação dos butiazais? 2010. 25p. Trabalho de Conclusão de Curso (Bacharelado em Ciências Biológicas), Instituto de Biociências, Universidade Federal do Rio Grande do Sul , Porto Alegre, 2010.
MEDEIROS, J. de D. A biotecnologia e a extinção de espécies. In: MEDEIROS, J. de D. et al. Floresta com Araucária: Um símbolo da Mata Atlântica a ser salvo da extinção. Rio do Sul: APREMAVI, 2004. p. 59-65.
MIOTTO, R. et al. Estimativa da produção das frutas nativas do território da Cantuquiriguaçu. In: I Seminário de Ensino, Pesquisa e Extensão (SEPE). 1ed. Laranjeiras do Sul: Universidade Federal da Fronteira Sul, 2011.
MMA, 2020. Biodiversidade para alimentação e nutrição. Disponível em:< https://www.mma.gov.br/biodiversidade/conservacao-e-promocao-do-uso-da-diversidade-genetica/biodiversidade-para-alimenta%C3%A7%C3%A3o-e-nutri%C3%A7%C3%A3o>. Acesso: 9 mai 2020.
REIS, M. et al. Uso sustentável e domesticação de espécies da Floresta Ombrófila Mista. In: MING, L.C; AMOROZO, M.C.M; KFFURI, C.W. Agrobiodiversidade no Brasil: experiências e caminhos da pesquisa. NUPEEA, v.6, 2010. p. 183-214.
SANTILLI, J.; EMPERAIRE, L. A agrobiodiversidade e os direitos dos agricultores indígenas e tradicionais. In: Ricardo, B.; Ricardo, F. (Orgs). Povos indígenas no Brasil: 2001/2005, Instituto Socioambiental, 2001, p. 100-103.
SCHREINER, C. T.; BETEMPS, D. L. Multifuncionalidade das espécies frutíferas nativas: saberes de famílias agricultoras no território Cantuquiriguaçu, PR. In: Encontro Internacional da Rota dos Butiazais, 2ed. 2018, Pelotas. Anais do II Encontro Internacional da Rota dos Butiazais. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2018. p. 54-59.
SCHREINER, C. T.; PERUCCHI, L. C.; MIRANDA, T. M. Utilização de imagens na pesquisa etnobotânica: possibilidades a partir de pesquisa sobre frutas nativas da Floresta Ombrófila Mista. Revista Cadernos de Agroecologia, v. 15, 2020. (No prelo).
PARANÁ. Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos. Instituto Ambiental do Paraná - Diretoria de Controle de Recursos Ambientais. Lista Oficial de Espécies da Flora Ameaçadas de Extinção no Paraná. Paraná, 2008. 2p.
TOLEDO, V. M.; BARRERA-BASSOLS, N. La memoria biocultural: la importância ecológica de las sabidurías tradicionales. Icaria editorial: perspectivas agroecológicas, junta de Andalucía: consejería de agricultura y pesca, 2009. 232p.